Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Obras avançam quando houver orçamentos
Ludoteca da Estufa assume-se como um espaço multigeracional

Obras avançam quando houver orçamentos

UMinho entre as 500 melhores universidades do mundo

Obras avançam quando  houver orçamentos

Desporto

2022-08-04 às 06h00

Redacção Redacção

GD Cavalões festejou terça-feira o 44.º aniversário, data sem festa porque muita gente está de férias, mas com sonhos que o presidente da direcção, Laurentino Ferreira, espere ver em breve concretizados: qando houver orçamentos.

Citação

Substituir o sintético, porque o actual tem 12 ou 13 anos, elevar os postes de iluminação, cobrir uma bancada e aumentar nos balneários o revestimento de azulejos são obras que o GD Cavalões — que celebrou nesta terça-feira o seu 44.º aniversário sem festas porque a maior parte do pessoal está de férias) tem previstas para breve. Mas, conta-nos o presidente clube, Laurentino Ferreira, está a haver uma dificuldade não prevista. Têm sido pedidos orçamentos às empresas fornecedoras e as empresas, face às turbulências que ultimamente têm sido sentidas nos custos, apresentam orçamentos com prazos de validade muito curtos: “chegam hoje e amanhã já são mais 20 por cento”.
“Precisamos de cobrir uma bancada, mas temos de ter cuidado porque não queremos com a construção prejudicar a paisagem envolvente do parque em que estamos inseridos”, explica, acrescentando que a opção poderá passar por uma cobertura de lona, semelhante à que alguns supermercados utilizam em parques de estacionamento.
“Precisamos de elevar os postes de iluminação porque os actuais são baixos e assim perde-se muita luz”, adianta.
Obras à parte, nas épocas anteriores o orçamento do clube rondava os 20 mil euros, sendo quase um terço coberto com apoios da Câmara Municipal de Famalicão e da junta de freguesia.
“Vão ajudando no que podem”, reconhece, adiantando que para breve está prevista para os mais novos a execução pela autarquia de um parque infantil que já está aprovado.
Laurentino Ferreira que preside ao clube desde 1999, assume que os 23 anos “já começam a dar algum cansaço” e lamenta a “falta de entusiasmo”. Os associados são cerca de 300, dos quais apenas metade com as quotas em dia, prossegue.
Mesmo entre as crianças, “a maior parte vêm das freguesias vizinhas, de Macieira de Rates ou de Negreiros”, acrescenta, revelando que cada criança paga 15 euros por mês, o que “dá para ir recompensando as despesas de deslocação dos treinadores”.
“Veio a pandemia e algum desânimo e a recuperação está a demorar mais do que eu esperava”, adianta. Os patrocinadores, acrescenta, “fugiram” e estas duas últimas épocas “foram para esquecer”.

Pavilhão Gimnodesportivo de Gondifelos a partir de Setembro

Atento às preocupações dos pais, o Grupo Desportivo de Cavalões, tem vindo, há já alguns anos, a procurar soluções para que os atletas mais novos dos escalões de petizes e traquinas, tenham melhores condições de treino, sobretudo nos meses de Inverno.
Assim, a partir do mês de Setembro, estes escalões irão usufruir do Pavilhão Gimnodesportivo da Escola EB 1,2, 3 de Gondifelos, às segundas feiras e quartas feiras, das 18h30 às 19h30.
Estão abertas as inscrições para os escalões de petizes, traquinas, benjamins, infantis e iniciados.
No fim da temporada 2021/22 eram cerca de 70 as crianças em acção no clube, fruto de um recuo significativo em resultado da Covid-19.
“Antes da pandemia nós tínhamos à alta de 120 crianças, depois as pessoas ficaram com receio de contágio e baixou para cerca de 60. No fim da ºepoca eram à volta de 70”, adiantou o coordenador técnico César Navio.
Sobre o pavilhão da escola de Gondifelos, para os petizes e traquinas sSobretudo no Inverno, é importante, porque quando chove as crianças de 4 ou 65 anos não aparecem”, salientou.
Segundo aquele responsável, têm sido poucos os problemas de relações com os pais e são todos os pais que fazem os transportes das crianças para os treinos, com origem na própria freguesia de Cavalões, mas também nas redondezas daquela zona de Famalicão, como Outiz e Gondifelos e do vizinho concelho de Barcelos, como Minhotães, havendo também um pequeno grupo de meninas para uma equipa feminina.
“Temos tido cinco ou seis, mas o nosso objectivo é vir a ter mais”.
Nestas idades, segundo César Navio, mais importante do que os resultados competitivos é que as crianças possam jogar, crescer e que se divirtam”.
Para a época 2022/23, César Navio conta com a colaboração de um corpo técnico one se incluem também Rúben Ferreira, Jopão Patrão, Hélder Cunha e Simão Jota.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho