Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Obra dá dicas a escolas e pais sobre como lidar com sobredotados
Saber sofrer para sorrir no final

Obra dá dicas a escolas e pais sobre como lidar com sobredotados

Garfe: criar um museu dos presépios é o sonho do padre Luís Fernandes

Braga

2018-10-21 às 18h25

Marta Amaral Caldeira

‘Sobredotação - Uma Responsabilidade Colectiva!’ intitula a obra da co-autoria de Leandro S. Almeida e Alberto Rocha que ontem foi apresentada. O livro reúne artigos de investigadores mundiais.

“Ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar”.
Carlos Drummond de Andrade

É preciso que a escola e a família respondam também às necessidades das crianças e jovens sobredotados. Leandro S. Almeida e Alberto Rocha, antigo e actual presidente da ANEIS - Associação Nacional para o Estudo e Intervenção na Sobredotação, apresentaram, ontem, na Livraria 100.ª Página a obra conjunta ‘Sobredotação: Uma responsabilidade colectiva!’, dando pistas e estratégias a professores, pais psicólogos.
Ambos os autores dizem que o tema da sobredotação “ainda não é suficientemente investigado em Portugal” e, por isso mesmo, reuniram num só livro artigos e experiências de vanguarda a nível mundial, incentivando a que mais investigadores e estudantes de mestrado se possam dedicar a estudos nesta área.

A obra reúne vários autores de vários países, com investigação ‘de ponta’ na área da sobredotação, dando pistas mais práticas para pais, mas também para quem trabalha directamente com sobredotados como os professores e psicólogos.
“Estes autores que se encontram reunidos nesta obra têm-se preocupado muito com a educação que é dada a estes alunos que apresentam características de sobredotados e que, por isso mesmo, precisam de uma educação também diferente, de forma a corresponder também às suas necessidades”, sublinhou Leandro S. Almeida.

O professor do Instituto de Educação da Universidade do Minho indica que “o tema é complexo” e “não há respostas únicas”, mas o livro reúne o que de melhor se está a fazer no mundo nesta área.
“Este é um livro muito actual e tem particularmente de ser bastante abrangente. São reflexões conjuntas que podem contribuir não só para novos quadros para definir a sobredotação, mas também, e sobretudo, para ajudar nas melhores respostas educativas no seio familiar e escolar”, destacou Leandro S. Almeida.

Para o co-autor da obra Alberto Rocha, presidente da ANEIS, este projecto resulta precisamente de uma experiência de 20 anos da associação. “O livro tem um conjunto de artigos que remetem para a prática e dá estratégias de como lidar efectivamente com estas crianças e jovens e nós, ANEIS, estamos totalmente disponíveis para colaborar com a escola e ajudá-la a constituir projectos que atendam à individualidade destas crianças e jovens sobredotados”.

Para o psicólogo e investigador na área da Psicologia da Investigação, houve momentos em que a escola já progrediu e voltou a regredir nesta matéria. Alberto Rocha chama a atenção dos professores, indicando que é a eles que cabe levar avante essa “mudança”.
“Há escolas que fazem um trabalho extraordinário e há professores que estão realmente motivados e conseguem fazer essa diferenciação curricular com estes alunos, dando-lhes matérias de forma a que estejam mais interessados e estratégias mais avançadas, mas outras não”.

Para Cristina Palhares, que apresentou a obra, lembrou à comunidade o projecto para sobredotados, com encontros ao sábado na EB 2,3 de Lamaçães. “Aqui oferecemos novas estratégias às crianças e jovens sobredotados, por exemplo, com xadrez, em que é igualmente importante aprender a perder e a saber lidar com a frustração, mas estes encontros são especialmente importantes porque eles se reúnem com outras pessoas com as mesmas características, percebendo que, afinal, não estão sós no mundo”.
Palhares defende que “nada é mais justo do que trabalhar a diferença”, seja na deficiência ou na sobredotação.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.