Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Óbito: Morreu Dário Castro Alves, ex-embaixador do Brasil em Portugal
Guimarães assinou manifesto de adesão “Autarquias sem Glifosato” da QUERCUS

Óbito: Morreu Dário Castro Alves, ex-embaixador do Brasil em Portugal

XIX Festival de Folclore do Rancho Infantil e Juvenil de S. Bartolomeu do Rego

2010-06-06 às 23h22

Lusa Lusa

O ex-embaixador do Brasil em Portugal, Dário Moreira de Castro Alves, morreu hoje em Fortaleza, no Ceará, disse à Lusa o vice-cônsul de Portugal no Ceará, Francisco Brandão.

O ex-embaixador do Brasil em Portugal, Dário Moreira de Castro Alves, morreu hoje em Fortaleza, no Ceará, disse à Lusa o vice-cônsul de Portugal no Ceará, Francisco Brandão.

“O embaixador era além de um amigo, uma inspiração e referencia para nós”, afirmou Francisco Brandão, acrescentando que Castro Alves sofria de “doença prolongada e residia em Fortaleza com a família há anos”.

Para o presidente do Conselho das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil, Rômulo Alexandre Soares, o embaixador foi um dos mais importantes articuladores luso-brasileiro nos campos político, económico e cultural. “E dele a expressão luso-brasilidade, que traduz o aprofundamento das relações entre Brasil e Portugal experimentaram, nas últimas décadas”, disse.

Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Ceará, o diplomata e escritor Dário Castro Alves, foi o embaixador do Brasil em Portugal, no período de 1979 a 1983, e exerceu postos em Buenos Aires, Nações Unidas (Nova Iorque), Moscovo e Roma.

Nascido em Fortaleza, no Ceará, em 1927, exerceu postos diplomáticos em Buenos Aires, nas Nações Unidas, Moscovo e Roma.

Entre 1983 e 1989, foi embaixador na Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington, sendo presidente do Conselho Permanente da instituição em 1984.

Em 1990, retorna a Portugal no posto de cônsul-geral no Porto, com categoria de embaixador, reformando-se seis meses depois.

Em Brasília, foi chefe do gabinete do ministro das Relações Exteriores, chefe de Administração da mesma pasta, secretário-geral e ministro interino das Relações Exteriores.

Detém cerca de 30 condecorações honoríficas do Brasil e de vários países e seu currículo inclui destaques como Académico de Mérito da Academia Portuguesa de História; Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Luso-Brasileira para Desenvolvimento do Mundo de Língua Portuguesa, em Lisboa; diretor do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade Internacional de Lisboa.

Entre as suas produções literárias estão: Era Lisboa e Chovia; Era Tormes e Amanhecia - dicionário gastronómico baseado na obra de Eça de Queiroz; e Era Porto e Entardecia - dicionário de enologia da obra de Eça de Queiroz, além de Luso-Brasilidades nos 500 anos, todos publicados no Brasil e em Portugal.

Dário de Moreira Castro Alves também é nome de prémio, atribuído pelo Clube de Empresários do Brasil, para homenagear uma personalidade portuguesa ou brasileira que se tenha destacado por iniciativas que fomentem o empreendedorismo luso-brasileiro.

O corpo do diplomata está a ser velado hoje à tarde, em Fortaleza.

“Este texto foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.