Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Novo horário da Praça “é para cumprir”
Biblioteca Municipal de Esposende promove Horas do Conto online para os mais novos

Novo horário da Praça “é para cumprir”

Vizela: Requalificação da Praça da República em fase de conclusão

Novo horário da Praça “é para cumprir”

Braga

2021-01-26 às 08h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Em circunstâncias normais, o horário do Mercado Municipal é para cumprir, adverte Ricardo Rio, depois de alguns operadores terem sido surpreendidos com a ameaça de aplicação de coimas se não justificarem o incumprimento do horário.

Até “poderá haver alguma condescendência durante este período de confinamento”, porém, o novo horário de funcionamento do Mercado Municipal de Braga é para cumprir, sujeitando-se os operadores que o desrespeitarem ao pagamento de coima que podem atingir quantias avultadas.
É o presidente da Câmara de Braga quem deixa claro que os operadores terão de cumprir o novo regulamento da ‘Praça’, depois de questionado pela vereadora da CDU sobre o facto de alguns comerciantes terem sido surpreendidos com da ameaça de aplicação de coimas que podem ascender aos 30.600 euros se não cumprirem o horário estipulado no regulamento.
Bárbara Barros revelou que alguns comerciantes foram notificados de “que têm cinco dias para justificarem o incumprimento dos horários”, sob pena de “incorreram numa coima que pode ir dos 2.550 euros aos 30.600”.
“Se as coimas forem mesmo aplicadas, os comerciantes serão obrigados a abandonar o mercado”, alertou a vereadora da CDU, para quem esta situação demonstra “uma insensibilidade brutal, num momento de grande fragilidade devido à situação pandémica”.
Na resposta, Ricardo Rio explicou o desrespeito pelo regulamento a que a vereadora da CDU se referia ocorreu “em circunstâncias normais de funcionamento do mercado, e não no actual período de confinamento”.
O edil até admite que no actual período de confinamento “poderá haver alguma condescendência” por parte do Município, dado que o funcionamento do mercado está “fortemente condicionado”, mas quando a normalidade estiver reposta, “é para cumprir”.
Ricardo Rio avançou ainda que está a ser estudada uma forma de reconfigurar o projecto do Mercado Municipal, isto porque apesar da cobertura, quando chove bastante a água acaba por entrar em algumas zonas.
A vereadora da CDU recordou que um problema semelhante aconteceu na estação da comboios e que foi resolvido com uma rede especial que também impede a entrada de animais, isto porque também há queixas da entrada de pombos para o mercado pelo mesmo local por onde entra a chuva.
A vereadora da CDU questionou ainda o arrastar da conclusão dos arranjos exteriores no mercado, que prejudicam a mobilidade dos clientes, sobretudo quando chove.
Ricardo Rio explicou que que o atraso na conclusão se fica a dever às condições climatéricas dos últimos tempos, traduzidas em “frio muito agreste” e “elevada pluviosidade”, situação que também está a atrasar a intervenção na Variante da Encosta/Ciclovia e na variante de Real.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho