Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Nova presidente dos ‘Vinhos Verdes’ quer mais negócio e sustentabilidade
Goméz falha a terceira jornada

Nova presidente dos ‘Vinhos Verdes’ quer mais negócio e sustentabilidade

Município reclama mais competências na área da Protecção Civil

Nova presidente dos ‘Vinhos Verdes’ quer mais negócio e sustentabilidade

Economia

2022-08-01 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Dora Simões tomou posse como presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes. Na Casa do Vinho, apresentou as prioridades para os próximos três anos de mandato,

Citação

Acrescentar rentabilidade ao negócio do vinho, contribuindo para a sustentabilidade do território foi desafio enunciado pela nova presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), Dora Simões. A primeira mulher a liderar uma instituição quase centenária que junta produtores e comerciantes de vinho verde tomou posse, na Casa do Vinho Verde, no Porto, para um mandato de três anos, durante o qual pretende também contribuir para “capitalizar o movimento enorme de turistas na região” a favor do sector, bem como tornar os serviços da CVRVV “mais inovadores e eficientes”.
A presidente da CVRVV quer prosseguir uma estratégia de “reconhecimento crescente” dos vinhos verdes que já ocupam “um segmento próprio nos mercados nacional e internacional”, reconhecendo que é necessário “fazer mais” para reforçar essa posição, num quadro global de incertezas e dificuldades económicas.
Dora Simões entende que produtores e comerciantes de vinho verde não podem perder a oportunidade das actuais “tendências mundiais de consumo” que favorecem vinhos com as características dos verdes, alertando que “há um ciclo favorável que temos de aproveitar”.
Precisou a presidente da CVRVV que, “se há região que pode actualmente tirar enorme partido das tendências mundiais de consumo é exactamente esta. Parece-me que o Vinho Verde tem hoje oportunidades que não pode perder”.
No discurso de tomada de posse, a líder da CVRVV avisou que as alterações climáticas estão a produzir efeitos nas vinhas da região, pelo que o desafio da sustentabilidade tem de estar presente nas preocupações dos 15 mil produtores que, na vindima de 2021, conseguiram mais de três milhões de litros de vinho. Dora Simões, que no início de Julho foi eleita por unanimidade no Conselho Geral da CVRVV, apontou como desafio de médio ou longo prazo colocar os vinhos verdes, que apresentam uma “enorme individualidade”, numa posição ainda mais sólida nos mercados.
Logo após a sua eleição, Dora Simões registou que os vinhos verdes posicionam-se pela diversidade e qualidade, sendo a CVRVV exemplar na promoção da marca Vinho Verde em mais de uma centena de mercados externos.
Manter o crescimento das exportações dos últimos anos é desafio da nova presidente, que conta na sua equipa directiva com os vogais Óscar Meireles e Rui Pinto, representantes do Comércio e da Produção, respectivamente.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho