Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Nova gerência da Pastelaria São João aposta na doçaria tradicional
Fafe quer ser palco mundial de reflexão sobre as grandes causas da Humanidade

Nova gerência da Pastelaria São João aposta na doçaria tradicional

Cerveira atrai investimento de 7ME de uma fábrica de transformação de pescado para o Fulão

Economia

2017-11-30 às 11h00

Redacção

REFERÊNCIA NA CIDADE, a Pastelaria São João, em plena Avenida da Liberdade, continua a ser o local de paragem de muitos bracarenses e turistas. O folhado é o ex-libris desta casa que abriu portas em 1962.

Carlos Cichetti e o cunhado vieram da Venezuela com as famílias e aceitaram um novo desafio: gerir a pastelaria São João, em plena Avenida da Liberdade. Já lá vai um ano e o gerente garantiu que está a ser uma “experiência espectacular”, confirmando que mantiveram “esta casa tradicional com os doces tradicionais e recebendo os clientes tradicionais”.
Aberta desde 1962, a Pastelaria São João é uma referência na cidade de Braga, sendo o folhado o ex-libris e uma marca de tradição da casa.
Carlos Cichetti veio com a família da Venezuela e esteve dois meses a ver como a casa funcionava e perceber o tipo de pastelaria que aqui se faz. “A decisão de vir para Braga já estava tomada há muito e em Abril do ano passado viemos com a família do meu cunhado. “Estivemos aqui a trabalhar e a experiência foi fantástica. As pessoas são espectaculares e a casa tem muita clientela e um ambiente familiar de muitos anos”, contou aquele responsável, referindo que ali se juntam três gerações.
Introduzir algumas novidades está no horizonte dos responsáveis da casa, mas Carlos Cichetti admitiu que “não é fácil”. “Temos ideias para fazer coisas novas, mas vamos fazer devagarinho”, confessou.
A pastelaria tradicional continua, por isso, a ser a aposta desta casa emblemática e o folhado é o rei. Outra das referências da casa são as brisas da ponte, que é um folhado com chila, maçã, amêndoa, canela e creme de ovo.
Ao fim-de-semana tem muita gente e muitos turistas espanhóis, franceses, ingleses, alemães, italianos e brasileiros. “Vimos que tinha muito movimento nos dois meses que passamos aqui, mas tudo ultrapassou as nossas expectativas”, contou.
Nas vitrines não faltam doces tradicionais, desde o pastel de nata, bolas de berlim, tíbias e éclairs. “É uma mais-valia ter fabrico próprio de pão e doçaria. Temos uma equipa esopectacular com três pasteleiros e sete funcionários. Tivemos muita sorte”, desabafou.
Neste momento, os clientes já podem fazer as encomendas para o Natal. Ali também tem à escolha bolos de aniversário, casamento ou comunhão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.