Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Norte soma 11 Unidades Locais de Saúde às três existentes
Caminha repõe ruas afectas pelas intempéries

Norte soma 11 Unidades Locais de Saúde às três existentes

Exportações: Braga sobe ao 3.º lugar em lista liderada por Famalicão

Norte soma 11 Unidades Locais de Saúde às três existentes

Casos do Dia

2024-01-13 às 22h30

Redacção Redacção

A região Norte, que até Dezembro tinha três Unidades Locais de Saúde (ULS), passa a ter 14 estruturas deste tipo e um hospital especializado, o Instituto Português de Oncologia, um modelo que serve mais de 3,5 milhões de pessoas.

Citação

No Norte, o novo modelo organizativo do serviço Nacional de Saúde (SNS) que entrou em vigor a 01 de janeiro traduz-se em 14 ULS que incluem mais de uma centena de centros de saúde e agrupamentos, bem como 10 centros hospitalares e quatro hospitais.

Soma-se um quinto hospital, o IPO do Porto que, pela sua especificidade e abrangência regional, se mantém autónomo.

Antes da reestruturação ditada pelo decreto-lei 102/2023 de 7 de novembro, a região Norte tinha três ULS, sendo a mais antiga a de Matosinhos (1999) e as mais recentes a do Alto Minho (2008) e a do Nordeste (2011).

De acordo com os censos de 2021, a população da região saúde do Norte é de 3.580.282 residentes.

No Grande Porto, onde até aqui só existia a histórica e pioneira ULS de Matosinhos, os três grandes centros hospitalares da região – São João, Santo António e Gaia/Espinho – passam a integrar três novas ULS.

A ULS de São João junta o Centro Hospitalar Universitário de São João com os Agrupamentos de Centros de Saúde (ACeS) do Grande Porto III (Maia/Valongo) e o ACeS Grande Porto VI (Porto Oriental).

Já a ULS de Santo António junta o Centro Hospitalar Universitário de Santo António com os ACeS do Grande Porto II (Gondomar) e do Grande Porto V (Porto Ocidental).

Por sua vez, o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho transita para a nova ULS Gaia/Espinho, juntamente com os ACeS do Grande Porto VII (Gaia) e do Grande Porto VIII (Espinho/Gaia).

Em Guimarães foi criada a ULS do Alto Ave com o Hospital da Senhora da Oliveira e o ACeS do Alto Ave, um agrupamento que serve a população desse concelho do distrito de Braga, bem como Vizela, Terras de Basto, somando-se o Centro de Saúde de Celorico de Basto.

O Hospital de Santa Maria Maior (Barcelos) e o ACeS do Cávado fazem a ULS Barcelos/Esposende.

Já a nova ULS de Braga junta o Hospital de Braga com os ACeS do Cávado I (Braga) e do Cávado II (Gerês/Cabreira).

A ULS da Póvoa de Varzim/Vila do Conde junta o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde com o ACeS do Grande Porto IV, enquanto a ULS do Médio Ave junta o Centro Hospitalar do Médio Ave aos ACeS do Grande Porto I (Santo Tirso/Trofa) e do Ave (Famalicão).

Na região do Tâmega e Sousa, um território formado por 12 municípios, foi criada a ULS Tâmega e Sousa que integra o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa com os ACeS do Tâmega I – Baixo Tâmega, com exceção do Centro de Saúde de Celorico de Basto, do Tâmega II – Vale do Sousa Norte e do Tâmega III – Vale do Sousa Sul.

Em Trás-os-Montes e Alto Douro, a nova ULS junta o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro com ACeS de Trás-os-Montes – Alto Tâmega e Barroso, do Douro I – Marão e Douro Norte e do Douro II – Douro Sul.

Por fim, a ULS de Entre Douro e Vouga integra o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga e os ACeS de Entre Douro e Vouga I – Feira e Arouca e de Entre Douro e Vouga II – Aveiro Norte.

No primeiro dia do ano os serviços de saúde no continente ficaram organizados em 39 ULS, com a criação de 31 novas unidades (a somar às oito já existentes), que têm como objetivo integrar numa mesma estrutura a gestão financeira e dos cuidados prestados pelos centros de saúde e pelos hospitais de referência. Paralelamente, serão extintas as Administrações Regionais de Saúde.

De acordo com o Governo, “cada ULS concentra a organização dos recursos humanos, financeiros e materiais, facilitando o acesso das pessoas e a sua circulação, em função das necessidades, entre os centros de saúde e os hospitais”.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho