Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
“Não são os 100 metros... é a Maratona”
Residências Artísticas antecipam a Contextile 2020

“Não são os 100 metros... é a Maratona”

JSD entende que pandemia agravou problemáticas e desafios da juventude

“Não são os 100 metros... é a Maratona”

Desporto

2020-04-09 às 06h00

Redacção Redacção

Médico vitoriano avisa para a necessidade de se continuar a trabalhar de forma preventiva, para conseguir ultrapassar esta situação inusitada, sem problemas de maior. Jogadores cumprem planos de treino específicos para manterem a melhor forma.

No dia em que faz um mês desde que foi jogada a última partida da I Liga antes da interrupção das competições devido ao surto de Covid-19, que tem assolado o mundo desportivo e a sociedade em geral, Filipe Guimarães, médico do Vitória Sport Clube, lembra que é preciso agir em conformidade para que se consiga ultrapassar esta situação que é inédita para quase todos.
Para o homem que lidera a equipa médica vimaranense, o principal foco está na capacidade de agir de forma preventiva, com o objectivo de dar aos atletas o máximo de segurança possível, neste período de incerteza para todos. Uma equipa dedicada trabalha para antecipar e prevenir possíveis cenários.

“Eu e o Dr. António Castro e Cunha lideramos uma equipa multidisciplinar no verdadeiro sentido do termo, constituída por fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionista, psicólogo, podologista e ainda um elemento do Departamento de Apoio ao Rendimento (DAR). E é nessa complementaridade e trabalho de equipa que reside a nossa força, fundamental para lidar com os tempos actuais”, considera o clínico, que frisa também a forma de actuação desta equipa: “tal como no nosso dia-a-dia no clube, no pré-Covid, tentamos sempre actuar na prevenção e antecipação de possíveis cenários (no caso das lesões, por exemplo) e nesta fase pandémica não é diferente. O nosso intuito foi conferir, sempre, o máximo de segurança aos atletas e staff. Há uma preocupação de monitorização contínua do estado clínico e das necessidades logísticas, com ajustes individuais quando necessário e em articulação estreita com a administração e equipa técnica”.

“Os maiores problemas os aqueles relacionados com o período de confinamento social em que vivemos”, afirma o médico, anunciando que os jogadores utilizam “uma plataforma online que permite o treino em grupo e sempre sob orientação do DAR e da equipa técnica e com material fornecido pelo clube”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho