Correio do Minho

Braga, sábado

- +
No centro hospitalar do Médio Ave ter um filho já não é doloroso
Envelhecimento saudável foi destaque no II Congresso da Santa Casa de Braga

No centro hospitalar do Médio Ave ter um filho já não é doloroso

Professores debateram o aluno como agente da diversificação

No centro hospitalar do Médio Ave ter um filho já não é doloroso

Vale do Ave

2021-09-25 às 09h00

Redacção Redacção

Novo bloco de partos do Centro Hospitalar do Médio Ave com sala sensorial que facilita o trabalho de parto. Uma estrutura que é única a nível nacional.

Na próxima segunda-feira, a terapeuta ocupacional Ana Lúcia Frutuoso, da ZenSenses - Terapia pelos Sentidos, irá orientar uma sessão de formação técnica aos profissionais do novo espaço de apoio às parturientes do CHMA, em Vila Nova de Famalicão. Médicos, enfermeiros e auxiliares ficarão, desta forma, habilitados a utilizar os novos equipamentos inseridos nas salas sensoriais recentemente inauguradas.
Um projecto que surge no âmbito da iniciativa ‘Humanização do parto’, coordenada pela médica Saritta Nápoles, cuja linha de pensamento parte do princípio de que a mulher é protagonista de um momento transcendente que é o trabalho de parto e o próprio parto e, por isso, cada sala individual está dotada de inúmeros equipamentos que poderão facilitar todo o processo e tornar este acontecimento numa experiência positiva e menos dolorosa, através de mecanismos de abstração e libertação do stress.
O objectivo é que este seja um momento de felicidade inesquecível na vida de cada família e eliminar ao máximo possível o aspecto de ambiente hospitalar, transmitindo a confiança e a serenidade necessárias.
A nível de condições físicas e materiais deste espaço, é possível receber as grávidas e parturientes num ambiente de calma e serenidade, propício ao estímulo de sensações através de música, vídeos, aromas, cores e diferentes efeitos.
Cada equipa de médicos, enfermeiros e auxiliares será treinada para usar elementos táteis (fibras óticas, temperatura, diferentes texturas), vibratórios (colchão vibratório, massajadores, colunas de som), visuais (colunas de água, projectores de luz), auditivos (músicas adequadas ao gosto, sons com frequências específicas, voz) e ainda olfativos (aromaterapia, cremes aromáticos e massagens).
Um projecto que contou com um forte apoio da comunidade local, destacando-se a Fundação Rotária e o Rotary Internacional, clubes rotários de Famalicão, Santo Tirso e Trofa, o MarShopping, o Espaço Yogin, a Savior - Artigos têxteis e Natália Silva - Atelier de costura e a ZenSenses - Terapia pelos Sentidos, responsável pela criação do ambiente multissensorial.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho