Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Muro caído há meses na circular urbana
Câmara Municipal de Ponte de Lima delibera solicitar intervenção da Agência Portuguesa do Ambiente no Rio Estorãos

Muro caído há meses na circular urbana

Viana do Castelo investe 2,111 milhões de euros em transportes e auxílios económicos no próximo ano letivo

Muro caído há meses na circular urbana

Braga

2020-07-31 às 10h14

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Há meses que o muro de vedação (e barreira acústica) está derrubado na Av. Dr. Salgado Zenha, no sentido Norte/Sul da Circular Urbana. Há quem atribua a culpa aos acidentes de viação, mas a Câmara considera que o muro ruiu por causa de uma obra.

Há largos meses que os automobilistas e peões que percorrem a circular urbana de Braga (na zona da Avenida Salgado Zenha, no sentido Norte/Sul) testemunham a queda de parte do muro de vedação que também serve de barreira acústica para as urbanizações vizinhas.
No decorrer de uma visita ao local, moradores na zona envolvente referiram que a situação se mantém desde meados de 2018, sem que no entanto tenha sido resolvida.

O vereador João Rodrigues disse ao ‘Correio do Minho’ que a ruína do muro de vedação e barreira acústica “decorreu de uma obra em curso, na parte de baixo” da circular urbana.
“Pela interpretação jurídica dos nossos serviços, a situação fica a dever-se aos impactos da obra que ali está a decorrer”, acrescentou João Rodrigues, avançando que os serviços de fiscalização do município já identificaram esta situação, estando actualmente em curso a fase de notificação “para que o responsável pela obra proceda à reparação do muro”.

Após ouvir o vereador da tutela, o ‘Correio do Minho’ conseguiu apurar que o responsável pela obra ainda não foi notificado para proceder ao arranjo do muro. Refere o responsável que lhe têm sido feitas reclamações — “mais de uma dezena” — sobre o estado muro em causa, mas entende que a situação não se deve à obra, mas sim aos acidentes que de viação, concretamente aos despistes, que são frequentes naquela zona, como se percebe pelas marcas deixadas nos pilares metálicos que ainda se mantém no local.
O responsável disse ainda que aguarda pela notificação do Município de Braga para seguir com o caso pela via judicial.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho