Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Mulher e filho acusados da morte de empresário
Ciclo do Conhecimento promove ‘saber fazer’ na Quinta Pedagógica

Mulher e filho acusados da morte de empresário

Regulamentos municipais disponíveis em documento único

Mulher e filho acusados da morte de empresário

Casos do Dia

2019-04-11 às 12h43

Redacção Redacção

Filho terá sido o autor do disparo que matou o empresário e a mulher terá ajudado a colocar o corpo na carrinha que foi encontrada em Palmeira.

A mulher e o filho do empresário que apareceu morto, em Outubro de 2017, numa viatura abandonada em Palmeira (Braga), foram acusados, pelo Ministério Público, de terem cometido o homicídio. Ambos são acusados de um crime de homicídio simples agravado pelo uso de arma de fogo, de um crime de detenção ilegal de arma e de um crime de simulação de crime.
Segundo a acusação, os arguidos, após abandonarem o cadáver, participaram o desaparecimento da vítima à GNR.

O Ministério Público considerou indiciado que em 23 de Outubro de 2017 o arguido, então com 20 anos, ao regressar a casa em Moure, Vila Verde, com o tractor avariado, depois de ter estado a trabalhar num campo, “foi verbalmente repreendido pelo seu pai, com insultos”.
Nessa altura gerou-se uma “violenta” discussão entre os dois, à qual se juntou também a arguida.

O arguido (filho) foi a casa buscar uma espingarda caçadeira municiada e dirigiu-se na direcção do seu pai “com intenção de o matar, passando no trajecto pela arguida, que, ficando ciente desta intenção, nada fez para o demover”, refere a nota da procuradoria. Ainda de acordo com a acusação, o arguido chegou junto do pai, que se encontrava debruçado procurando uma peça de ferramenta, visou-o com a arma de fogo e efectuou um disparo, atingindo-o no pescoço e matando-o.
De seguida, a arguida desfez-se da arma e, conjuntamente com o filho, colocou o corpo da vítima num furgão, que acabaram por deixar abandonado num descampado em Palmeira, Braga.
O corpo só foi encontrado três dias depois do crime.

O Ministério Público considerou indiciado que os arguidos “actuaram num estado de desgaste emocional motivado pelas reiteradas agressões de que vinham sendo alvo por parte da vítima, ao longo do tempo”.
O filho da vítima está ainda acusado pela prática de dois crimes de condução sem habilitação legal.
O homem foi detido em Setembro de 2018, porque após o crime ausentou-se para França.
A mulher já tinha sido detida em Junho desse mesmo ano.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.