Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Mostra musical do Eixo Atlântico confirma alto nível de intérpretes
SC Braga: “Convicto de que temos que fazer mais um grande jogo”

Mostra musical do Eixo Atlântico confirma alto nível de intérpretes

Priscos distingue personalidades e apresenta novo site da freguesia

Nacional

2018-05-09 às 06h00

Redacção

A VI Mostra Musical do Eixo Atlântico, que se realizou no passado fim-de-semana em Vila Real, demonstrou o alto nível dos intérpretes da Eurorregião. Mais de 300 jovens participaram nesta edição, que ficou marcada pelo grande nível técnico.

Os participantes da Mostra Musical do Eixo Atlântico brilharam no passado fim-de-semana em Vila Real. O certame, que se realizou entre sábado e domingo, foi a confirmação do alto nível dos jovens intérpretes de música clássica e jazz da Euro-região.
Foi a primeira vez que a Mostra Musical do Eixo Atlântico se realizou integralmente fora de Vilagarcía de Arousa, local que a realizou desde 2018 e a organização desta edição passou com distinção na prova. Mas sobretudo temos que valorizar o trabalho dos jovens e dos seus professores, que demostraram o alto nível que estão a atingir as escolas de música e conservatórios tanto no norte de Portugal como na Galiza, adianta fonte do eixo Atlântico.

A Mostra Musical decorre a cada dois anos com a finalidade de valorizar os músicos das escolas de música e conservatórios, apoiando aqueles músicos intérpretes que pelo seu valor e interesse possam contribuir para a difusão do gosto pela música clássica e o jazz, favorecendo a inovação, a qualidade, a interação e a renovação no panorama musical do Eixo Atlântico.
O certame é direccionado para jovens intérpretes que sejam estudantes das Escolas de Música ou Conservatórios Profissionais (no caso de Galiza) e Escolas Profissionais e Conservatórios (no caso de Portugal), pertencentes aos municípios membros do Eixo Atlântico. Para a organização da Mostra Musical o Eixo Atlântico conta com a colaboração da Casa da Música do Porto e da Xunta de Galicia, através da Secretaría Xeral de Cultura.
No domingo, depois da interpretação dos finalistas que se classificaram da fase prévia realizada sábado, teve lugar a entrega de prémios às atuaCções mais meritórias.
O júri desta edição quis reconhecer especialmente as interpretações ex aequo- de Maria Soeiro Oliveira, em representação do município da Maia e Mafalda Soares Ribeiro, de Braga, na categoria de Solistas grupo A (até os 10 anos).

Na categoria de Solistas grupo B (de 11 a 12 anos) a vencedora foi Matilde de Sousa Margalho, em representação do Município de Santa Maria da Feira.
Na categoria de Solistas grupo C (de 13 a 15 anos), o júri premiou o trabalho de Tomás Celeste, de Matosinhos, e decidiu também entregar uma menção honrosa a Matilda Pinto Mensink, do Porto.

Na categoria de Solistas grupo D (dos 16 aos 18 anos) venceu o representante da Eurocidade Chaves-Verín Rafael Filipe Picamilho Simão. Nesta categoria, o júri também decidiu entregar uma menção honrosa a Romeu Velez de Rodrigues Aires Lourenço, em representação do Município de Vila Nova de Gaia e a Lia Rafaela de Marcos e Melo, de Vila Real.
No que respeita aos agrupamentos de câmara (entre dois e seis integrantes) foi premiado o quarteto de saxofones do Conservatório de Música do Porto. O júri também atribuiu uma menção honrosa ao Duo de Percussão Esproarte, em representação do Município de Mirandela.
Por último, na categoria de Agrupamentos Maiores, arrecadou o galardão a Banda Sinfónica da Academia de Artes de Chaves, em representação da Eurocidade Chaves-Verín. O júri decidiu entregar também uma menção honrosa ao Pequecoro In crescendo, que representava Ferrol.

Eixo Atlântico vê possível ligação ferroviária Porto-Corunha como muito positiva

O secretário-geral do Eixo Altântico, Xoan Mao, considera que seria muito positiva a exploração de uma nova linha ferroviária entre a Corunha, em Espanha, e o Porto, cuja autorização foi solicitada segunda-feira pelo grupo Arriva.
O grupo Arriva, através da companhia Arriva Spain Rail, pediu segunda-feira à Comissão Nacional de Mercados e Competência (CNMC) espanhola autorização para operar numa nova linha entre as duas cidades, num percurso de 342 quilómetros que espera percorrer em duas horas e 46 minutos, com sete paragens: A Corunha, Santiago de Compostela, Pontevedra, Vigo Guixar, Valença do Minho, Nine e Porto-Campanhã.

Para Xoan Mao, esta nova linha reforça uma ideia já defendida pelo Eixo Atlântico organismo que agrega 38 municípios portugueses e galegos há muito tempo e mostra que o sector privado o viu com a mesma clareza.
O aumento da oferta também aumenta a procura. Há quem não viaje por não serem dadas condições para viajar, não haver horários, assinalou o responsável, destacando que com mais comboios e horários, vai haver mais gente a ir de comboio.
Actualmente, o comboio que sai do Porto só liga a Vigo e com limitações, pelo que esta ligação à Corunha é, para o secretário-geral, uma medida inteligente, acreditando haver massa crítica que permita a sustentabilidade dos dois serviços.

Com partidas diárias de Porto Campanhã e Vigo, o comboio Celta, operado pela CP em conjunto com a Renfe, liga actualmente as cidades do Porto e Vigo, com paragens em Nine, Viana do Castelo e Valença.
O comboio Celta iniciou a sua exploração comercial em Julho de 2013, assegurando uma ligação rápida entre Vigo e Porto.

Com bilhete único com o preço de 14,75 euros, esta ligação veio permitir percorrer os 175 quilómetros que separam as cidades em duas horas e 15 minutos, quando anteriormente a ligação demorava mais de três horas.
Em Portugal, a Arriva, que pertence ao grupo alemão Deutshe Bahn, desenvolve a actividade de transporte regular de passageiros, com cerca de 190 concessões, operando mais de 200 linhas em 16 concelhos (Guimarães, Famalicão, Braga, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Barcelos, Santo Tirso, Trofa, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Maia, Matosinhos, Porto, Terras de Bouro e Vizela).
A Lusa questionou o Instituto da Mobilidade e dos Transportes, entidade em Portugal competente para a emissão de licenças para o exercício da acti- vidade de prestação de serviços de transporte ferroviário, mas não obteve respostas até ao momento.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.