Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Moreirense recebe e vence Marítimo pela margem mínima
Viana do Castelo avança com “Reabilitação e Refuncionalização da Praça Viana” por 3,7 milhões de euros

Moreirense recebe e vence Marítimo pela margem mínima

Viana do Castelo aprova transferência de 165 mil euros para freguesias do concelho

Moreirense recebe e vence Marítimo pela margem mínima

Desporto

2020-10-26 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Moreirense regressou aos triunfos numa fase em que se debate com inúmeras ausências. Cónegos batem madeirenses e somam 8 pontos em 15 possíveis. Belo arranque valeu 4.º posto, à condição.

Há casos em que a expressão “fazer omoletes sem ovos” se aplica na perfeição e este Moreirense de Ricardo Soares é disso exemplo. Com um extenso número de lesionados e indisponíveis, o técnico do Moreirense está a conseguir um belo arranque de campeonato, somando, ontem à tarde, o segundo triunfo na I Liga, ao cabo de cinco jogos, averbando apenas uma derrota, e logo no Estádio da Luz, frente ao Benfica.
Sem laterais para encarar o duelo com o conjunto madeirense - Abdu Conté, Pedro Amador e D’Alberto estão lesionados e Matheus Silva testou positivo para Covid-19 -, o técnico dos cónegos socorreu-se de Afonso Figueiredo, inscrito esta semana como solução de recurso para fechar o lado esquerdo da defesa.

Já para o corredor contrário Ricardo Soares optou por adaptar Ferraresi, um central de raíz, mantendo ao centro Steven Vitória e Rosic.
Mas as complicações não se ficam por aí, já que no sector atacante os problemas também são de várias ordens. Fábio Abreu já cá não mora, Derik Lacerda e André Luís - recentemente contratados - estão lesionados, pelo que não restou outra opção senão apresentar uma frente de ataque inovadora, que privilegiou a mobilidade, formada pelos reforços Felipe Pires e Walterson, bem apoiados por Pedro Nuno e Alex Soares.

Os cónegos dominaram quase por completo e abriram o activo por Felipe Pires, beneficiando depois da expulsão de Jean, no Marítimo, para reforçar o domínio, que ganhou outros contornos quando Pedro Nuno, em cima do intervalo, aumentou a contagem, num contra-ataque exímio.
O segundo tempo foi de gestão e de algumas perdidas que podiam ter matado o jogo antes de Zainadine reduzir em cima dos 90 e dar alento aos madeirenses.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho