Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Moradores do quarteirão da Makro indignados com falta de estacionamento
Quinto melhor ataque da fase de grupos e à procura de novo recorde na UEFA

Moradores do quarteirão da Makro indignados com falta de estacionamento

Guidance celebra 10.ª edição no feminino

Moradores do quarteirão da Makro indignados com falta de estacionamento

Braga

2019-11-17 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Moradores do quarteirão da Makro estão indignados com a retirada de lugares de estacionamento naquela zona. Este quarteirão está ser alvo de requalificação no âmbito ‘Zonas 30’ que prevê a implementação de percursos pedonais acessíveis, focando a circulação de pessoas com mobilidade reduzida, através da implementação de passadeiras/cruzamentos sobrelevados, que funcionarão como medida de acalmia de tráfego.

Moradores do quarteirão da Makro estão indignados com a retirada de lugares de estacionamento naquela zona. Este quarteirão está ser alvo de requalificação no âmbito ‘Zonas 30’ que prevê a implementação de percursos pedonais acessíveis, focando a circulação de pessoas com mobilidade reduzida, através da implementação de passadeiras/cruzamentos sobrelevados, que funcionarão como medida de acalmia de tráfego.
Os moradores juntaram-se ontem de manhã como forma de protesto e exigirem à câmara municipal a correcção de “alguns erros” provocados pela obra que está em curso nesta zona e que tem retirado “lugares de estacionamento, provocando sérios transtornos aos residentes “, apontou um dos moradores, Fernando Silva, que vai agora entregar um abaixo-assinado à câmara municipal a pedir mais lugares de estacionamento e uma reunião urgente para pedir esclarecimentos sobre esta situação.

Fernando Silva afirma que “esta obra não serve as necessidades dos moradores, bem pelo contrário, só veio contribuir para piorar a situação com carros em cima dos passeios”. Miguel Bandeira disse ao jornal ‘Correio do Minho’ que a câmara municipal está aberta à participação dos contributos dos moradores, salientando que a obra assenta em dois princípios fundamentais: a mobilidade, privilegiando o peão e a segurança rodoviária. Miguel Bandeira admite “alguma redução no número de lugares de estacionamento, mas lembra que “esta obra visa melhorar as condições de mobilidade e segurança e isso implica a regularização do estacionamento em transgressão que é crónico por toda a cidade, e em particular neste quarteirão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.