Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Ministro da Administração Interna sublinha desempenho de Caminha na Protecção Civil
CVR, CM Guimarães e Laboratório da Paisagem promovem concurso para um Natal mais sustentável

Ministro da Administração Interna sublinha desempenho de Caminha na Protecção Civil

Albertino Gonçalves: homenagem ao professor que “deixa marcas”

Ministro da Administração Interna sublinha desempenho de Caminha na Protecção Civil

Alto Minho

2022-10-01 às 21h21

Redacção Redacção

José Luís Carneiro participou nas cerimónias de apresentação das EIP e do Dia Nacional da GNR

Citação

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, esteve hoje em Caminha, onde participou em duas cerimónias. Logo pela manhã, visitou Riba de Âncora, onde foi feita a apresentação das novas Equipas de Intervenção Permanente (EIP) para o Concelho de Caminha. Trata-se de um reforço na estratégia de proteção civil do Município, que o governante classificou como um caso exemplar na Administração Local. Já no final da manhã, na Vila de Caminha, decorreu a cerimónia do Dia Nacional da GNR.
O local escolhido para apresentação das EIP foi o Lugar do Souto do Rego Grande, em Riba de Âncora, onde o governante pôde conhecer o trabalho desenvolvido na gestão de combustíveis com recurso a pastorícia, de caprinos e ovinos, orientado pelo Conselho Diretivo dos Baldios de Riba de Âncora.
Intervindo no início da cerimónia, o Presidente da Câmara, Rui Lages, destacou a gestão equilibrada e sustentável praticada no baldio, que classificou mesmo como “futurista”. Referiu, a propósito, a plantação de 15 hectares de castanheiros, a gestão de combustíveis com recurso a pastorícia com ovelhas (20 no momento) e cabras bravas (50 nesta altura) e a dois cães de guarda de rebanhos. A isto junta-se a opção pela energia de fonte renovável (solar), com 6 painéis solares já colocados que alimentarão toda a exploração. Acresce a videovigilância nas 24 horas, em tempo real, diurna e noturna com câmaras de infravermelhos, sendo também um auxílio à vigilância, com principal incidência na época crítica para a ocorrência de incêndios florestais.
Em projeto há ainda um parque de visitas para as escolas e público em geral.
O Presidente da Câmara sublinhou a importância do trabalho em conjunto e de forma coordenada com Juntas de Freguesia, Comissões de Baldios, ICNF, Bombeiros e Sapadores Florestais, com o objetivo de “cuidar e salvaguardar a nossa floresta e a nossa população”.
Sobre as EIP, Rui Lages referiu que o Município de Caminha conta agora com quatro equipas de profissionais. As EIP são constituídas por um chefe de equipa e por quatro bombeiros e cumprem com uma linha de orientação de profissionalização dos operacionais que, no âmbito do sistema de proteção civil, desempenham as missões cometidas aos corpos de bombeiros, a partir de uma parceria entre as Associações Humanitárias, os Municípios e a Autoridade de Emergência e Proteção Civil.
As quatro equipas de profissionais aquarteladas nos bombeiros de Vila Praia de Âncora e Caminha, implicam a mobilização de cerca de 170 mil euros/ano por parte da Câmara Municipal.

Rui Lages recordou também a criação, em 2018, de uma equipa de sapadores florestais e aludiu a todo o trabalho de limpeza e ações de fogo controlado, como partes importantes a política de prevenção. Refira-se que, no âmbito do planeamento municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, a ação da equipa de sapadores tem contribuído para uma execução significativa nestes últimos quatro anos.
O Presidente da Câmara informou também que neste momento está em curso a revisão do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil do Município de Caminha.
O Ministro da Administração Interna enalteceu o trabalho do Município de Caminha, saudou as EIP e os bombeiros e focou a sua intervenção no período que agora se inicia, dizendo que outubro costumava ser o início de um período de acalmia, o que não se prevê este ano, já que se esperam, em alguns dias, temperaturas de 35 graus ou até superiores.
José Luís Carneiro sublinhou que este mês, e perante o cenário esperado, não se pode “baixar a guarda”, nomeadamente no que se prende com queimadas e máquinas agrícolas.
O Ministro revelou também que a investigação dos fogos subiu este ano, com 87% de casos sob investigação, o que representa 92% do total de área ardida. Só cerca de 27% das ocorrências, no entanto, terão sido originadas por incendiarismo.
Quanto a detidos, José Luís Carneiro frisou foi efetuada mais de centena e meia de detenções.
O Ministro destacou ainda o papel das alterações climáticas, lembrando que a Comissão Europeia já admitiu que cada país, só por si, não terá capacidade de combater os seus efeitos. Tudo isto, disse, implica uma grande responsabilidade coletiva. O risco de incêndio aumenta, destacou, quando se reúnem três fatores: temperatura acima dos 30 graus, ventos de mais de 30 quilómetros e menos de 30% de humidade; o que começa a ser vulgar para além do verão, daí a relevância de uma forte consciência coletiva.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho