Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Minho dominou itens estatísticos da I Liga
Programa de residências literárias traz a Braga Sònia Hernández

Minho dominou itens estatísticos da I Liga

Vizela distribui mais 100.000 máscaras e 20 máquinas dispensadoras no concelho

Minho dominou itens estatísticos da I Liga

Desporto

2020-08-07 às 13h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Região mais representada no campeonato português esteve em destaque em quatro parâmetros da estatística global na temporada 2019/20.

É também pela análise dos dados que se sustenta a tese de sucesso dos emblemas minhotos na última edição da I Liga, com todos os cinco representantes da região ‘estacionados’ de forma tranquila na primeira metade da tabela classificativa.
Para lá dos sucessos desportivos - ainda que nem todos tenham alcançado os objectivos competitivos delineados no começo da temporada -, a predominância de atletas dos clubes minhotos no topo de quatro dos ítens estatísticos é, também, bem elucidativo dos belos desempenhos de Sporting Clube de Braga, Futebol Clube de Famalicão, Vitória Sport Clube, Moreirense Futebol Clube e Gil Vicente Futebol Clube.
Comecemos, então, pela baliza, onde o guardião do Moreirense, Pasinato, se destacou como sendo o atleta com mais defesas protagonizadas no campeonato - 111 no total, à frente dos homólgos do V. Setúbal (Makaridze, com 97), Santa Clara (Marco Pereira, com 93), Tondela (Cláudio Ramos, com 90) e Rio Ave (Kieszek, com 89).
Subindo no terreno, falando já dos jogadores que actuam no meio-campo mas com maiores responsabilidades defensivas, abordamos a questão dos atletas com mais recuperações de bola. Neste particular, o brasileiro Soares, do Gil Vicente (pedra basilar da estratégia de Vítor Oliveira na última temporada), esteve em destaque, com 213 roubos de bola no total, bem distante da concorrência (Pepelu, do Tondela, aparece na segunda posição, com 198). Filipe Soares, médio do Moreirense também entra nestas contas, terminando a época no 7.º lugar dos maiores recuperadores de bolas, com 177 no total.
Seguimos esta análise com os artistas da bola, responsáveis pelos momentos de magia ao longo das partidas e, mais uma vez, é um representante minhoto que lidera a lista, desta vez dos que protagonizaram o maior número de dribles completos.
Aqui, o vitoriano Marcus Edwards assume o protagonismo, com 89 tentativas bem sucedidas. Trincão, do SC Braga, e Filipe Soares, do Moreirense, ocupam a sexta e nona posições, com 63 e 48 dribles completos, respectivamente.
A finalizar, nota para... os finalizadores. Fábio Abreu, claro está, goleador-mor dos cónegos com 13 tentos na I Liga, assumiu a liderança da pasta de ‘jogadores mais eficazes’, com uma percentagem de 35%, acima de Alex Telles e Carlos Vinícius (curiosamente, o melhor marcador da prova com 18 golos). João Carlos Teixeira, do Vitória SC, também aparece nesta lista, em 6.º, com 27% de eficácia.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho