Correio do Minho

Braga, terça-feira

Miguel Batista e Eduardo Mendonça são reforços do ABC/UMinho para a nova temporada
Município de Ponte de Lima distribui apoio financeiro de 210 mil euros por 74 associações locais

Miguel Batista e Eduardo Mendonça são reforços do ABC/UMinho para a nova temporada

Via Sacra e vida de Jó inspiraram Nettie Burnett

Desporto

2018-08-07 às 17h00

Rui Serapicos

Lateral e Pivot, um cedido pelo FC Porto, após passagem pelo Chartres, e outro com contrato de dois anos, por transferência estabelecida com o FC Gaia, chegam ao ABC/UMinho. Foram as novidades no arranque dos trabalhos para a nova temporada 2018/19, tendo em vista o campeonato nacional Andebol 1.

A equipa sénior de andebol masculino do ABC/UMinho começou, ontem, os trabalhos de preparação para a época 2018/19 a anunciar mais dois reforços: o esquerdino Miguel Batista, um lateral direito de 23 anos, 1,96 metros e 113 kg, formado no FC Porto - que o cede por uma temporada - e com passagem pelo Avanca, que regressa ao país, após uma experiência em França, no Chartres; e ainda o pivot Eduardo Mendonça (1,97 metros e 109 kg), que se transfere directamente do FC Gaia com compromisso por duas épocas com os academistas.

Os dois novos jogadores, com experiência nas selecções nacionais jovens, propõem para a equipa técnica, composta por Jorge Rito e Carlos Ferreira, mais competitividade naquelas posições específicas e equilíbrio de soluções .
Recorde-se que neste defeso o clube havia anunciado o retorno do esquerdino José Rolo, formado no Sá Leite, após cinco anos em Angola, em que coleccionou títulos com a camisola do 1.º de Dezembro e ainda o ingresso de Carlos Oliveira, guarda-redes ex-FC Porto e da selecção nacional sub-18, assim como a aquisição de André Rei, ponta direita (ex-Águas Santas) e António Ventura, polivalente de primeira linha (ex-ISMAI).
Em sentido inverso, saem jogadores como Carlos Martins, ponta-direita que se junta ao contingente de ex-academistas que reforçaram o Benfica e ainda Belmiro Alves, lateral, que vai representar o Águas Santas ou Tomás Albuquerque, central de raiz que jogou frequentemente como lateral direito, e que optou por cessar a actividade como jogador de andebol.

Carlos Matos, o vice-presidente desportivo do ABC, ao comentar para os jornalistas as aquisições ontem apresentadas, referiu que são dois atletas que vieram “colmatar postos específicos onde tínhamos algumas dificuldades. No caso do Miguel vem juntar-se ao José Rolo, outro reforço que já tínhamos anunciado. O Eduardo vem suplantar a saída do Roberto e aumentar a competitividade num posto em que tem também o Rui Ferreira e o Hugo Rocha”.
Carlos Matos vincou ainda que o lateral direito Miguel Batista é um internacional A, que chega cedido pelo FC Porto durante uma época, enquanto Eduardo Mendonça, pivot da selecção nacional de sub-20 que recentemente terminou o Campeonato da Europa em quarto lugar, chega com um contrato válido por dois anos.

“São atletas que nós acreditamos que têm muito potencial”, comentou. Salientando que Eduardo “é muito forte fisicamente, um atleta que começámos a seguir no ano passado no início da época”, o dirigente do ABC fez questão de expressar “o agradecimento ao FC Gaia”, e ao seu departamento de andebol “que foi de extrema correcção e lisura neste processo com um atleta com quem tinha contrato em vigor por mais um ano” e garantiu que entre as direcções houve conversas muito interessantes e chegámos a um acordo a bem de todos”.


“Vamos ter campeonato mais competitivo” - diz Jorge Rito

Na próxima época do andebol nacional vamos assistir a um crescendo de competitividade, tanto na luta pelo título como por um lugar na fase inicial entre os seis primeiros. Essa é uma tendência que Jorge Rito admite como provável, tomando como indicador os reforços que as equipas anunciaram durante o defeso. O treinador posiciona o ABC/UMinho como um clube concorrente a um lugar entre os seis primeiros, depois disso, tentar uma aproximação aos que vão correr pelo título.

“Independentemente das dificuldades por que o clube passa, nunca nos podemos esquecer que nós, treinadores e jogadores, estamos a servir o ABC e que as exigências neste clube são sempre muito elevadas. Portanto, vamos tentar sempre, em todos os campos, dar o máximo e isso será mais de meio caminho para conseguirmos vitórias”, disse.
Adiante, Jorge Rito considerou que “vamos ter uma competição ainda mais difícil do que tivemos no ano passado. As equipas que lutaram pelos primeiros lugares reforçaram-se imenso. Aliás, as equipas que lutam para ficar nos seis primeiros também. Portanto, nós vamos ter um campeonato muito mais competitivo do que tivemos no ano passado”.

Segundo o treinador, perante este contexto o ABC vai ter que “trabalhar muito, vai ter que mostrar a sua raça durante todo o campeonato, para poder conseguir em primeiro lugar ficar no grupo das equipas que vão disputar o título e depois, passada essa fase, tentarmos aproximar-nos das equipas do topo. Vai ser este o nosso desafio para esta época desportiva”.

Sobre o plantel, e em comparação com a época anterior, Rito considera que com as entradas de José Rolo e Miguel Batista “ficámos com mais alternativas do lado direito, como não tínhamos no ano passado”.
Lembrando que do lado direito na temporada finda o ABC jogava com Belmiro Alves (que saiu para o Águas Santas) ou com Tomás Albuquerque (que abandonou a competição), o treinador do ABC sustenta que para o posto específico de lateral direito a equipa fica reforçada com dois jogadores que “são dessa posição genuinamente”, oferecendo mais soluções em termos de ataque.
Mas - acrescenta - “também são jogadores que em termos defensivos nos podem dar pela sua altura e pelo seu peso mais consistência”. Além disso, ainda segundo Jorge Rito, também António Ventura, sendo um jogador universal pode fazer qualquer posição de primeira linha, e há uma substituição directa do Carlos Martins pelo André Rei, um jogador com experiência de I Divisão.

“Acho que temos um plantel equilibrado, mas vamos ter de começar muita coisa de novo, porque saíram da equipa principal três jogadores nucleares, o Carlos Martins, o Tomás e o Belmiro - portanto metade da equipa saiu - e agora vamos ter de recomeçar outra vez. Alguns atletas já conhecem a nossa dinâmica mas os outros vão ter de recomeçar tudo do zero.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.