Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Maria da Fonte perde pela margem mínima na deslocação ao terreno do CC Taipas
Festival ContraCena animou Cabeceiras

Maria da Fonte perde pela margem mínima na deslocação ao terreno do CC Taipas

Câmara dos Arcos mantém a Certificação de Qualidade

Desporto

2018-02-19 às 06h00

Redacção

CC Taipas venceu o Maria da Fonte e aproxima-se do primeiro lugar da Pró-Nacional. João e Abreu foram os heróis da tarde. O guarda-redes defendeu uma grande penalidade e o avançado marcou um grande golo ao cair do pano.

O CC Taipas ainda não perdeu na era Carvalho, empatando apenas por uma vez com a AD Ninense. Este jogo, frente ao Maria da Fonte, só não ficou empatado, porque Abreu, no segundo minuto de compensação, deu a vitória aos vimaranenses e fez com que a sua equipa se aproximasse na luta pelo primeiro lugar da Pró-Nacional da AF Braga.
O planeamento ofensivo do CC Taipas e do Maria da Fonte não foi fácil, dado que o empenhamento em não sofrer golos por parte das duas equipas, foi notório - isto, no que diz respeito à primeira parte. Este era um jogo importante para as duas equipas, mas com maior responsabilidade de triunfo para a turma caseira.

A primeira oportunidade de golo, surgiu ao minuto oito. No desenvolvimento de um canto, Cara tirou na linha de golo aquele que seria um cabeceamento perfeito de Rui Pereira. 
No lado do Maria da Fonte, foi Pepe quem tentou invadir a grande área do CC Taipas, mas o central Ricardo Soares esteve imperial no corte.
Na segunda parte, a emoção esteve à flor da pele. As duas equipas tiveram uma capacidade pela procura da bola acima do normal.
Aos 60 minutos, surgiu o caso do jogo. André saiu dos postes e agarrou o esférico, mas o árbitro entendeu que o guarda-redes atingiu propositadamente Marna e assinalou grande penalidade e expulsou André. João entrou e defendeu a grande penalidade de Pepe e ao mesmo tempo motivou os seus companheiros para o resto do jogo.

Com menos um jogador o CC Taipas teve que puxar pela sua capacidade física, mas teve o condão de nunca perder o controlo psicológico. Assim se explica o grande remate de Abreu aos noventa e dois minutos. Em zona frontal e de fora da área, o avançado investiu no seu remate e teve sucesso. A festa da equipa da casa foi grande e não era para menos.
António Carvalho jogou com dois médios centro, Hugo Veiga e Rui Pereira. Tiago Carneiro e Maka actuaram mais pelas alas, enquanto que Abreu apoiou o avançado Diogo Leite.
Do lado do Maria da Fonte, Alberto Fernandes preferiu jogou com um médio mais recuado, que foi Vítor Hugo. Figo, Telmo e Henrique foi o tridente de apoio à dupla ofensiva constituída por Pepe e Marna.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.