Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Literatura: Morreu António Manuel Couto Viana, o 'Avestruz Lírico'
“Prelúdio: A Mulher Selvagem” é a peça que o Teatro da Didascália apresenta no Theatro Circo

Literatura: Morreu António Manuel Couto Viana, o 'Avestruz Lírico'

“Árbitro fraco, sem categoria e, acima de tudo, sem coragem”

Nacional

2010-06-08 às 18h59

Lusa

O escritor António Manuel Couto Viana, 87 anos, morreu hoje à tarde no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, disse à Lusa fonte próxima da família.

O escritor António Manuel Couto Viana, 87 anos, morreu hoje à tarde no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, disse à Lusa fonte próxima da família.

O escritor, que residia há cerca de dez anos na Casa do Artista, em Lisboa, foi internado naquele hospital “nos últimos dias, devido a problemas num pé que se agravaram, vindo a falecer”, disse a mesma fonte.

O último livro de António Manuel Couto Viana, poeta, contista, ensaísta, ator, dramaturgo, encenador e figurinista, foi um volume de contos pícaros com o título “O que é que eu tenho Maria Arnalda?”, em setembro de 2009.

'Bichos diversos em versos' tinha sido publicado em 2008, e era o terceiro livro de poesia para crianças, com ilustrações de Afonso Cruz.

Em tempos mestre de cena do Teatro S. Carlos, Couto Viana pertenceu ao grupo Távola Redonda e esteve ligado à formação de companhias de teatro, designadamente o grupo Gerifalto e o Teatro da Mocidade.

Por intermédio de David Mourão-Ferreira estreiou-se como ator e figurinista em 1946 no Teatro Estúdio do Salitre, em Lisboa, mas já anteriormente tinha dado os primeiros passos no teatro de família, o Sá de Miranda, em Viana do Castelo, cidade onde nasceu.

Em 1948, estreou-se na poesia com o livro 'O avestruz lírico', tendo desde então publicado vários títulos.

Entre 1950 e 1954 dirigiu, com David Mourão-Ferreira, Luiz de Macedo e Alberto de Lacerda, os cadernos de poesia Távola Redonda, e mais tarde a revista cultural Graal, tendo ainda feito parte da redação da revista Tempo Presente (1959-1961).

Couto Viana integrou também a direção do Teatro de Ensaio (Teatro Monumental) e da Companhia Nacional de Teatro.

Encenou óperas para o Círculo Portuense de Ópera e Companhia Portuguesa de Ópera e foi orientador artístico da Oficina de Teatro da Universidade de Coimbra.

Ao longo da sua carreira foi distinguido com vários prémios literários.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.