Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Lenços de amor inspiram desfile de trajes, cruzando a tradição e inovação
Vila Verde: Ano escolar arranca com a tranquilidade possível

Lenços de amor inspiram desfile de trajes, cruzando a tradição e inovação

Autarcas reivindicam protagonismo e exigem apoio para sectores produtivos

Lenços de amor inspiram desfile de trajes, cruzando a tradição e inovação

Braga

2020-02-14 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Dezenas de trajes ‘Namorar Portugal’ desfilam amanhã, no Braga Parque, cruzando a tradição e a inovação, tendo como inspiração os lenços de amor ou de pedidos de Aboim da Nóbrega, Vila Verde.

A tradição dos lenços de amor ou de pedidos mostra-se amanhã no Braga Parque.Trata-se de um desfile que alia a tradição à inovação inspirado nos trajes do Baixo Minho e lenços de amor.
A iniciativa foi apresentada ontem, em conferência de imprensa, e contou com a presença de André Marcos, do GFUM – Grupo Folclórico da Universidade do Minho, da vereadora da Cultura, Júlia Fernandes, de Ferrando Rei, da Tearte, marca que integra o projecto ‘Namorar Portugal’, e de Cláudia Marques em representação do Braga Parque.

Tendo como pano de fundo o mês do mês do romance e a tradição dos bordados dos lenços de pedidos, André Marcos afirma que “todas as forças se conjugaram para este desfile, onde pegamos na tradição, nos nossos trajes, nos bordados e fazermos uma ponte para as criações contemporâneas inspiradas nos lenços dos namorados”.
Para Júlia Fernandes, vereadora da Cultura da Câmara de Vila Verde, destacou a importância de “dar a conhecer todo este trabalho da nossa tradição, aquilo que nos fez chegar até hoje e a marca ‘Namorar Portugal’ é isso mesmo, vai beber a tradição dos lenços de namorados e transpõe para a modernidade todo um conjunto de produtos que são desenvolvidos por cerca de 70 parceiros, mostrando aquilo que é feito no nosso território”. Júlia Fernandes realça que “este evento faz de uma forma extraordinária a ponte entre a tradição e a modernidade”.

Inspirada no lenço de pedidos, bordado em 1955, em Aboim da Nóbrega, a criação artística de Fernando Rei, da Tearte, espelha este “casamento feliz” da tradição e da inovação. “Este lenço está carregado de simbologia: é a palavra amor, é o par de namorados. A ideia é que cada pessoa se reveja um bocadinho naquele pano”.
Cláudia Marques afirma que esta “é mais uma parceria com as tradições da nossa região do Minho e sendo esta tradição tão rica, queremos partilhar e mostrar ao público e aos jovens que nos visitam diariamente”, acrescentando que “este será o primeiro evento de muitos que queremos fazer com marca ‘Namorar Portugal” que mostra as tradições do Minho”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho