Correio do Minho

Braga, terça-feira

Lei anti-tabaco: Avaliação de resultados em 2011
Balanço positivo da Feira do Livro de Barcelos

Lei anti-tabaco: Avaliação de resultados em 2011

Câmara assinou protocolos com Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela

Nacional

2010-11-17 às 15h42

Lusa

O secretário de Estado da Saúde revelou hoje que no final do primeiro semestre de 2011 será feita uma avaliação dos resultados da lei anti-tabaco para decidir se é necessário aumentar ou não a sua natureza restritiva.

O secretário de Estado da Saúde revelou hoje que no final do primeiro semestre de 2011 será feita uma avaliação dos resultados da lei anti-tabaco para decidir se é necessário aumentar ou não a sua natureza restritiva.

Manuel Pizarro falava no Porto no encerramento de uma campanha nacional promovida pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia que percorreu 14 capitais de distrito e que permitiu a realização de cerca de cinco mil espirometrias, um exame que permite avaliar a saúde respiratória.

O secretário de Estado da Saúde salientou que os resultados dos três anos da legislação que proíbe o fumo em espaços públicos são “satisfatórios”, mas frisou que só no final do primeiro semestre do próximo ano se perceberá se a compatibilização, em alguns espaços, de zonas de fumadores e não fumadores deve ou não ser mantida.

Em Portugal tem-se verificado uma diminuição, ainda que moderada, do consumo de tabaco. Dados de 2008 mostram que, por efeito da aplicação da Lei Anti-Tabaco, cerca de 5,1 por cento da população que era fumadora, deixou de fumar.

Manuel Pizarro entende que “apesar dos resultados positivos, nomeadamente ao nível da qualidade do ar nos espaços públicos, este é um caminho que deve prosseguir para que os cidadãos percebam que a nossa saúde também depende da nossa iniciativa”.

Nesse sentido, o secretário de Estado elogiou iniciativas como que hoje terminou no Porto e à qual Cristiano Ronaldo emprestou, gratuitamente, a sua imagem.

Após entregar, a um representante do Cristiano Ronaldo, o galardão de “Personalidade Não Fumadora do Ano”, Manuel Pizarro referiu que o jogador de futebol, por servir de modelo a muitos portugueses, e sobretudo a muitos jovens, é “uma excelente ajuda” na luta contra o hábito de fumar.

“É muito importante que percebam que só se atingem as classificações atléticas de Ronaldo com muito trabalho, mas não fumando. Seguramente se ele fumasse não era o atleta extraordinário que todos admiramos”, frisou.

Pizarro insistiu na ideia de consciencializar todos os portugueses para os malefícios do tabaco, que é o principal fator de risco de graves doenças respiratórias e do cancro do pulmão, que em média mata dez pessoas por dia no nosso país.

O presidente da SPP, Carlos Robalo Cordeiro sustentou que “85 a 90 por cento das pessoas com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) são fumadoras, portanto o tabaco é claramente a principal causa desta doença e também do cancro do pulmão”.

“Julgo que conseguimos sensibilizar a população para a necessidade de fazer o rastreio da sua saúde respiratória”, afirmou Robalo Cordeiro, acrescentando que todos os casos em que se encontraram alterações foram encaminhados para o respetivo médico de família.

Na campanha “Todos queremos vencer na vida. Respirar é a única forma de o conseguir” estiveram envolvidos 65 enfermeiros de reabilitação de todo o país.

O seu encerramento coincidiu com a celebração do Dia Mundial do Não Fumador e Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC),


*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.