Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
“Paredes de Coura é a terra ideal para concretizar todos os sonhos”
Conclusão da variante do Cávado é “crucial” para melhorar mobilidade

“Paredes de Coura é a terra ideal para concretizar todos os sonhos”

Projecto ‘ComPraça’ anima Mercado Municipal com encontros, conversas e exposições

“Paredes de Coura é a terra ideal para concretizar todos os sonhos”

Cávado

2015-04-18 às 06h00

Miguel Viana Miguel Viana

COMEMORAÇÕES dos 500 anos do Foral atribuído por D. Manuel I serviu para enaltecer potencialidades e dar a conhecer a história do concelho.

“O meu desejo é que todos os courenses e todos aqueles que quiserem morar connosco sintam que Paredes de Coura é a terra ideal para realizarmos todos os sonhos, que é a terra melhor para mudar o mundo”. A pretensão foi expressa por Vítor Pereira, presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura, na cerimónia inaugural das comemorações dos 500 anos do Foral atribuído por D. Manuel I.
O autarca courense salientou que apesar de recordarem o passado, as comemorações apontam para o futuro.
“Escolhemos para imagem das nossas comemorações um príncipe, uma criança, porque é aquilo que somos hoje. Tal como o príncipe, Paredes de Coura é uma vida em construção”, destacou Vitor Pereira.
O autarca destacou, também, que o facto do concelho constar do mapa dos territórios de baixa densidade, pode significar uma oportunidade de crescimento. “Existe hoje na sociedade portuguesa uma tendência resignada , para não dizer triste e cabisbaixa, que resvala para uma espécie de ranking dos concelhos. Uns exaltam a força demográfica e a dinâmica económica, muitas vezes estruturada em modelos de desenvolvimento que não durarão mais de 20 anos. Os outros, ou os que estão mais abaixo, mostram alegria pelo simples facto de pertencerem ao mapa dos territórios de baixa densidade. Tudo porque isso pode significar apoios suplementares do próximo quadro comunitário”. afirmou Vítor Pereira.
O edil disse, ainda, estar preparado “para aproveitar todas as oportunidades”, mas lembrou que “o Estado tem de acreditar que há gente capaz de construir esse desenvolvimento. Nós não queremos que o Estado nos dê futuro, queremos é escolher o nosso futuro.”
O primeiro dia das comemorações incluiu, ainda, a inauguração da exposição ‘Terra de Coura: Foral Manuelino e Futuro’, no Arquivo Municipal. Esta exposição. Esta mostra dá a conhecer documentação original nunca antes mostrada e documentos como a ‘Carta Terra Brasil’ (de 1519), os ‘Acórdãos’ e os ‘Documentos de Conta’ da Santa Casa da Misericórdia de Paredes de Coura, e algum espólio da Confraria do Divino Espírito Santo.
Seguiu-se a apresentação do livro ‘Tempos da Terra de Coyra’ (notícia em baixo) e encontros com vários jovens courenses que se destacaram em diversas áreas.
Uma conferência sobre o Foral manuelino e a tertúlia ‘Conversas à Roda de Coura’ completaram o primeiro dia de comemorações.
Um dos pontos altos dos festejos é vivido hoje com a realização da Feira Quinhentista.
“É uma forma de implicar os mais pequeninos e os pais, de criar uma festa para a família. Não fazia muito sentido afastar a comunidade e a cultura popular das comemorações”, salientou o autarca courense. Antes, pelas 9 horas, realiza-se a ‘Corrida ao Monte da Pena’. O dia termina com exibição do filme ‘Uma Visita Real’, a partir das 21.30 horas, no Centro Cultural.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho