Correio do Minho

Braga,

Lanças afiadas no Dragão para contrariar a história
Edil quer integração das autarquias nas Administrações Portuárias

Lanças afiadas no Dragão para contrariar a história

Vieira do Minho reclama voz com regionalização corajosa

Desporto

2018-11-09 às 06h00

Telmo Martins

Registo de encontros entre SC Braga e FC Porto é desfavorável aos Guerreiros do Minho mas Abel Ferreira já provou que gosta de contrariar as tendências e quer a liderança isolada na visita ao Dragão.

Jogo grande da décima jornada da I Liga vai colocar frente-a-frente os líderes do campeonato. O SC Braga desloca-se ao Dragão para defrontar o FC Porto e o vencedor da partida assume a liderança isolada do campeonato. Em caso de empate, mantém-se tudo na mesma.
Ora, os comandados de Abel Ferreira, além de uma luta em campo frente aos adversários, vão ter que lutar também contra a história, se bem que isso pouco conta quando o árbitro apitar para o início da partida.

Mas os factos dizem que o FC Porto tem sido superior nos duelos com o SC Braga. Entre campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga, Liga Europa e Supertaça, Guerreiros e Dragões já se defrontaram 150 vezes. Os azuis e brancos vencerem 104 das partidas, registaram-se 26 empates e os arsenalistas venceram apenas por 20 ocasiões.
Relativamente ao número de golos marcados, a equipa de Sérgio Conceição torna a levar a melhor. E por larga vantagem. Os azuis e brancos fizeram o gosto ao pé 337 vezes, enquanto que os minhotos marcaram 122. Aliás, o FC Porto marcou em quase todos os duelos com os bracarenses. Só em 16 dos 150 jogos é que a baliza dos Guerreiros se manteve a zeros.

Os arsenalistas viveram o melhor momento frente aos dragões sob o comando técnico de Paulo Fonseca quando venceram, em casa, para o campeonato, por 3-1 e conquistaram a Taça de Portugal frente ao FC Porto de José Peseiro, nas grande penalidades.
Na vitória para o campeonato marcaram para o SC Braga Hassan, Rafa e Alan, três atletas que já não fazem parte do plantel. Dos atletas que jogaram apenas Marafora, Goiano e Ricardo Ferreira se mantêm no clube.
Mas a grande conquista dos minhotos frente aos azuis e brancos foi mesmo a final da Taça de Portugal da época 2015/16. Josué e Rui Fonte marcaram os golos da equipa então orientada por Paulo Fonseca. André Silva ainda bisou e empatou a partida mas os Guerreiros levaram a melhor no desempate por grandes penalidades.
O Guerreiro a marcar no Dragão foi Raúl Silva, na derrota da última temporada, por 3-1.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.