Correio do Minho

Braga, segunda-feira

José Maria Costa em Rennes para reunião do Comité executivo das Cidades do Arco Atlântico
Vila Verde melhora rede elétrica

José Maria Costa em Rennes para reunião do Comité executivo das Cidades do Arco Atlântico

Antiga Casa dos Magistrados cedida à Ordem dos Advogados de Famalicão

Alto Minho

2018-03-14 às 15h19

Redacção

Na sua reunião em Rennes (França), o Comité Executivo aprovou este documento a enviar ao Parlamento Europeu e à Comissão Europeia, uma vez que é entendimento das entidades que a formam que a política de coesão é um pilar de construção europeia que inclui princípios como a subsidiariedade, a proximidade ao cidadão e aos territórios e a convergência e integração socio-económica.

O Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, que lidera também a Conferência das Cidades do Arco Atlântico, participou ontem na reunião do Comité Executivo daquela entidade, que aprovou uma deliberação, a ser enviada à Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu, sobre a política de coesão e o reforço financeiro das políticas de cooperação europeia.

Criada em 2000, a Conferência das Cidades do Arco Atlântico representa hoje mais de duzentas autoridades locais da costa atlântica europeia, num trabalho em rede que se relaciona diretamente com as diversas instituições comunitárias, designadamente no que toca ao diálogo para a afetação de fundos estruturais da Comissão Europeia, do grupo URBAN do Parlamento Europeu e do Programa INTERREG Espaço Atlântico.

Na sua reunião em Rennes (França), o Comité Executivo aprovou este documento a enviar ao Parlamento Europeu e à Comissão Europeia, uma vez que é entendimento das entidades que a formam que a política de coesão é um pilar de construção europeia que inclui princípios como a subsidiariedade, a proximidade ao cidadão e aos territórios e a convergência e integração socio-económica.

Os membros da Conferência das Cidades do Arco Atlântico entendem que a cooperação territorial é uma dimensão fundamental da política europeia que deve ser reforçada e melhorada, sendo necessário para isso um reforço dos instrumentos financeiros da política de coesão, sublinhou o autarca, que avançou ainda que tem sido a política de coesão e a cooperação das redes de cidades os instrumentos da União Europeia que mais têm aproximado os cidadãos da Europa e que tem sido através destas políticas que se tem conseguido atenuar a discrepância do desenvolvimento entre os diversos países europeus.

Sobre este assunto, recorde-se, já a 22 de janeiro passado, durante uma reunião de uma comitiva encabeçada por José Maria Costa com a Comissária Europeia Corine Cretu, o autarca já tinha defendido a importância da cooperação transnacional e da cooperação transfronteiriça, defendendo junto da Comissária Europeia que, no próximo quadro comunitário, o orçamento para estas políticas deve ser reforçado.

No âmbito da reunião em Rennes, o autarca de Viana do Castelo participou também num seminário sobre as soluções digitais da mobilidade, integrando uma mesa redonda onde teve oportunidade de abordar a importância da mobilidade sustentável das cidades do futuro.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.