Correio do Minho

Braga,

Isabel Estrada Carvalhais diz que é preciso passar valores humanos para o digital
Prémios enaltecem mérito de alunos das escolas da Póvoa de Lanhoso

Isabel Estrada Carvalhais diz que é preciso passar valores humanos para o digital

Plano de Investimentos nas Freguesias leva Benjamim Pereira a Belinho e Mar

Braga

2019-03-24 às 09h00

Marta Amaral Caldeira

Candidata do PS ao Parlamento Europeu, a professora Isabel Estrada Carvalhais diz que é preciso fazer passar os valores humanistas e cívicos para o mundo digital e promover não só e apenas a intervenção, mas a verdadeira participação cidadã.

Isabel Estrada Carvalhais, professora da Universidade do Minho e candidata ao Parlamento Europeu pelo Partido Socialista, defendeu, ontem, num debate sobre ‘Sociedade Digital’, que o grande desafio que se coloca à sociedade perante o admirável mundo digital é o de saber levar para dentro dele os valores humanistas e cívicos imprescindíveis à liberdade e ao espírito democrático.
A candidata do PS à Europa falava, ontem, num debate promovido pela estrutura política do PS sobre a ‘Sociedade Digital’ no Centro de Negócios - Ideia Atlântico, que se debruçou muito sobre a vertente do ensino e da educação e sobre a transformação tecnológica operada nas escolas do país, recordando-se a política do PS e do ‘choque tecnológico’.
“O que não é vivido e compreendido fora do mundo digital em termos de competências de cidadania, dificilmente depois será vivido e compreendido dentro do mundo digital”, referiu Isabel Estrada Carvalhais, alertando que “é preciso fazer ‘a ponte’ entre as extraordinárias competências digitais e a nossa consciência de cidadania, privacidade, liberdades e valores do bem colectivo, com o respeito pelo outro com as suas diferenças”, disse. “Esse é o grande desafio do mundo digital”, asseverou.
Olhando de forma crítica para esse ‘admirável mundo digital’, a professora e candidata do PS às próximas eleições europeias afirmou que “se no dia-a-dia não souber respeitar estes valores humanos e cívicos, não no mundo digital que se vai conseguir respeitar. Esta é a ponte que a sociedade tem que saber fazer”.
“É preciso saber distinguir entre o que é ‘participação’ e a ‘intervenção’”, advertiu Isabel Estrada Carvalhais, diagnosticando que “as opiniões no mundo digital é como viver numa bolha e ser selectivo, recusando todas as opiniões contrárias dos outros. É como multiplicar pequenos ‘agoras’ para ter intervenção, mas não uma participação”, acusou.
No debate participaram vários responsáveis e especialistas da área de ensino, além de vários políticos, militantes e simpatizantes locais do PS, desde Fernando Moniz, Joaquim Barreto, Palmira Maciel, João Nogueira, entre outros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.