Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
IPVC tem sensor ambiental para medir qualidade do ar em Valença
Esposende sensibiliza para necessidade de preservar a abelha

IPVC tem sensor ambiental para medir qualidade do ar em Valença

Plataforma Guimarães Une pretende ser local encontro entre empresas e instituições

IPVC tem sensor ambiental para medir qualidade do ar em Valença

Alto Minho

2022-01-26 às 20h21

Redacção Redacção

Projeto foi financiado pelo Fundo Ambiental e está implementado em 47 escolas no território nacional

Citação

A Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) tem um sensor ambiental, que permite consultar a qualidade do ar de Valença a qualquer hora do dia. “A qualidade do ar em Valença é muito boa”, confirmou a professora e investigadora da ESCE-IPVC, Sofia Rodrigues, evidenciando os impactos que este “projeto para a comunidade” pode ter.

A ESCE-IPVC, através do Programa EcoEscola, aderiu em 2020 à Rede MAPeAR, um projeto colaborativo que envolve cerca de 50 instituições de ensino em Portugal. “O projeto tem como objetivo a promoção da literacia socioambiental, sobre os impactos da qualidade do ar e os seus efeitos na saúde humana e deste modo incentivar à participação ativa no quotidiano das comunidades e cidades em que se inserem”, explicou a professora e investigadora Sofia Rodrigues, que integra o programa ESCE EcoEscolas com a também professora e investigadora Luísa Pinheiro.

O “MAPEAR - Mapeamento ambiental colaborativo da qualidade do ar e ruído”, propõe a implementação de um projeto piloto, iniciado em maio de 2020, cujo objetivo é a promoção da literacia socioambiental, na comunidade escolar, sobre os impactes do ruído e da poluição do ar nos metabolismos urbano e humano, cuja mitigação e eliminação estão diretamente associados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) «3. Saúde de qualidade» e «11. Cidades e comunidades sustentáveis».

Esta rede educativa de mapeamento colaborativo da qualidade do ar ambiente permite, com um sensor fixo de monitorização de partículas PM10 e PM2,5, medir a qualidade do ar ambiente, enviando continuamente dados, em tempo real, sobre a qualidade do ar na zona envolvente.

Este projeto foi aprovado para financiamento pelo Fundo Ambiental, favorecendo a formulação das políticas públicas e ações ambientais locais. “Através de uma plataforma SIG, existe um espaço onde todos os intervenientes podem partilhar, analisar e comparar os resultados recolhidos durante as atividades de monitorização, no que se pretende que possa vir a ser, um grande reservatório online de informação relativa à qualidade do ar e do ruído”, adiantou, entretanto, a professora e investigadora Luísa Pinheiro, evidenciando que a qualquer momento pode-se analisar a qualidade do ar da cidade de Valença em https://sensor.community/pt/

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho