Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Instituições unidas na sensibilização para a inclusão de pessoas com deficiência
Mart'Nália trouxe o samba a Ponte da Barca

Instituições unidas na sensibilização para a inclusão de pessoas com deficiência

Estação Náutica de Esposende reúne com parceiros locais

Instituições unidas na sensibilização para a inclusão de pessoas com deficiência

Braga

2021-11-25 às 06h00

Redacção Redacção

Semana da Inclusão ‘Incluir +’ decorre entre os dias 29 deste mês e 10 de Dezembro reúne 22 instituições ligadas à integração social de pessoas portadoras de deficiência.

Vinte e duas instituições do concelho de Braga participam, entre a próxima segunda-feira e o dia 10 de Dezembro, na sexta edição da Semana Incluir +.
O evento é promovido pela Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva e assinala o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (3 de Dezembro) e o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de Dezembro).
Durante a Semana Incluir +, as instituições cooperantes vão realizar 48 actividades para sensibilizar a comunidade bracarense para a inclusão de pessoas portadoras de deficiência. “O que pretendemos é, efectivamente, sensibilizar a comunidade para a problemática da deficiência e da inclusão social de pessoas com deficiência ou incapacidade, promovendo uma maior consciêncialização sobre a igualdade de acesso à informação, ao conhecimento, à participação e respeitando a dignidade humana”, explicou Aida Alves, directora da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.
Outro dos objectivos é partilhar experiências entre os vários parceiros sociais. “Aquilo que fazemos nesta semana, é a promoção das boas práticas das entidades que estão envolvidas. Pretendemos também a promoção de uma identidade cultural inclusiva da cidade de Braga e a criação de uma rede de programação inclusiva, que é esse o objectivo final”, disse Maria de Jesus Peixoto, directora do Serviço de Biblioteca no Apoio à Inclusão da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.
O programa da Semana Incluir+ é composto por nove oficinas, oito acções de reflexão (tertúlias, palestras, conversas abertas e práticas evídeos de reflexão), sete workshops, sete exposições, quatro actividades musicais, quatro actividades artís- ticas - dança, duas leituras encenadas, dois vídeo promocionais de projecto (um sobre formação artística e cultural e outro sobre Residência Autónoima ao Serviço da Comunidade), uma apresentaçção de livro, uma Hora do Conto e uma sessão de demonstração do PC On Line na Paralisia Cerebral.
Algumas das entidades aproveitaram a apresentação à imprensa para divulgarem as actividades a realizar durante a Semana da Inclusão.
A Associação Portuguesa de Deficientes agendou várias sessões de trabalhos manuais abertas à comunidade, actividades sobre acessibilidades para deficientes com jovens estudantes e um momento de partilha sobre os direitos dos cidadãos com técnicos da Segurança Social.
A Associação YAY - Educação e Inclusão vai realizar actividades de sensibilização das empresas para a empregabilidade de pessoas com deficiência.
Uma sessão de percursão ministrada por jovens portadores de deficiência mental é a proposta apresentada pelo Centro Novais e Sousa.
O IRIS - Instituto de Reabilitação e Integração Social de Braga aposta nas tradições, com um espectáculo de fado e alguns momentos de música tradicional portuguesa, essencialmente o folclore. Esta instituição também vai assinar um protocolo com a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva. A Academia Sénior Dr. Egas Moniz aposta na interacção geracional, através da realização de jogos populares nas escolas e da apresentação da dança ‘O Bom Barqueiro’. A Cerci Braga agendou uma exposição de fotografia, uma tertúlia de dança inclusiva, workshops de música e dança e um video sobre a autonomia de pessoas com deficiência mental.
As conclusões da Semana da Inclusão serão, depois, encaminhadas para os serviços de acççao social da Câmara Municipal de Braga. “Vamos tentar aprimorar memorandos para que possam daqui sair orientações a apresentar ao senhor presidente da câmara, para daí serem reiportadas à tutela” disse Aida Alves, directora da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho