Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Hugo Vieira: “estarei para sempre ligado ao Gil Vicente”
Estudo da UMinho aponta desequilíbrios da valorização florestal em Portugal

Hugo Vieira: “estarei para sempre ligado ao Gil Vicente”

Guimarães: Risco de incêndio impõe várias proibições

Hugo Vieira: “estarei para sempre ligado ao Gil Vicente”

Desporto

2020-06-28 às 08h03

Redacção Redacção

Hugo Vieira reforçou o desejo de terminar a carreira no “clube do coração”, mesmo podendo sair no fim da época. Está a dois golos de entrar na história.

Hugo Vieira assumiu hoje a vontade de encerrar a carreira futebolística ao serviço do Gil Vicente, ao qual regressou em Janeiro para cumprir a terceira passagem pelo 11.º classificado da I Liga.
“O meu futuro é o hoje. Não escondo que podem aparecer coisas boas financeiramente, mas o dinheiro não é o mais importante. Vou estar ligado ao Gil Vicente para sempre e, se for para fora, voltarei de novo. É aqui que quero acabar e sei que as pessoas também o querem”, frisou o dianteiro, numa entrevista à televisão oficial do clube.

Hugo Vieira, de 31 anos, regressou ao Gil Vicente em janeiro, após rescindir com os turcos do Sivasspor, somando um golo em seis aparições aos 32 tentos em 102 partidas realizadas entre 2009 e 2012 e nas épocas 2012/13 e 2013/14, para ficar a dois remates certeiros do “objectivo muito grande” de ser o melhor marcador do “clube do coração”.
“Estou muito bem, mas posso ajudar muito mais e é isso que acontecerá no futuro com toda a certeza. A próxima temporada vai ser fundamental para o clube e não descarto a possibilidade de ajudá-lo a alcançar os objectivos. Vou ter o segundo filho em Agosto e não é uma boa altura para sair, mas vamos ver. O futuro a Deus pertence”, partilhou.

Natural de Barcelos, onde se sagrou campeão da II Liga em 2010/11, o avançado pertenceu aos quadros de Estoril, Benfica e SC Braga, mas nunca se estreou pelas 'águias', que acabaram por cedê-lo ao Gil Vicente, tal como os 'arsenalistas', enquanto “pensou em desistir do futebol” devido à doença oncológica da namorada.
“Passei por muitos obstáculos, mas as grandes batalhas são para os grandes guerreiros e eu considero-me um guerreiro dentro e fora do relvado. Houve uma fase da minha vida em que o futebol não era o mais importante e cheguei a pensar em parar. Felizmente não me deixaram e foi isso que me deu forças para de- pois voltar a gostar de viver.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho