Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Guimarães: Arte de Mindelis ‘dá vida’ a escadaria de acesso à Plataforma das Artes
Presidente da Câmara felicita Vitória SC pela promoção da equipa feminina de voleibol

Guimarães: Arte de Mindelis ‘dá vida’ a escadaria de acesso à Plataforma das Artes

Município de Esposende edita terceira série do Boletim Cultural

Guimarães: Arte de Mindelis ‘dá vida’ a escadaria de acesso à Plataforma das Artes

Vale do Ave

2020-06-29 às 06h00

Redacção Redacção

‘AMANHECER’ é o nome do projecto artístico desenvolvido pela artista brasileira Mónica Mindelis em Guimarães, que deu uma ‘vida nova’ às escadarias de acesso à Plataforma das Artes.

A brasileira Mónica Mindelis, residente em Lisboa há quase duas décadas, deu vida a uma das escadarias que dão acesso à Plataforma das Artes, junto ao Centro Internacional de Artes José Guimarães (CIAJG), em Guimarães. ‘Amanhecer’ é o nome da obra de arte resultante da residência artística que a artista fez em Guimarães, entre Maio e Junho, no âmbito do programa de Residências Artísticas do projecto ‘Amar o Minho’, uma iniciativa promovida pelo consórcio Minho In, constituído pelas Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Ave e Cávado.
“Inspirada pelas colecções do CIAJG, pelas cores de José de Guimarães e pelo têxtil, marcas identitárias locais, Mónica emprestou delicadeza e elegância a um espaço devoluto”, sublinha Helena Mendes Pereira, directora da zet gallery e uma das curadoras deste projeto inovador que criou a maior rede de residências artísticas na região do Minho.
A intervenção artística de Mónica Mindelis em espaço público “criou um caminho e abriu um sonho”, juntando-se agora à de Xana Abreu que pintou, na Casa da Juventude, em Vila Nova de Famalicão, um mural inspirado no surrealismo português.
Ambas as obras podem ser visitadas, estando ainda acessíveis ao público via digital, através dos vídeos divulgados nas redes sociais que mostra todo o processo de criação daquelas fantásticas obra de arte em espaço público.
Recorde-se que o projecto de residência artísticas é uma iniciativa de promoção da cultura, dos artistas e do turismo sob a marca ‘Amar o Minho’, com o apoio do Norte 2020 e dos FEEI, que cria a maior rede de residências artísticas nos 24 municípios representados pelas três CIM da região, numa estratégia concertada que se destina a reforçar a identidade cultural do Minho e, desta forma a dinamizar o território do ponto de vista artístico e turístico.
Helena Mendes Pereira, directora da zet gallery, é a curadora das áreas da arte em espaço público, artesanato e fotografia, cabendo a António Rafael, membro da banda Mão Morta, a curadoria dos projectos na área da música, dança e literatura.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho