Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Grupo DST apoia combate ao isolamento social de doentes
‘Energizarte’ instala arte em Crespos e Pousada

Grupo DST apoia combate ao isolamento social de doentes

Academia eSport nasce para ajudar a regulamentar a modalidade

Grupo DST apoia combate ao isolamento social de doentes

Economia

2020-07-17 às 08h03

Redacção Redacção

Grupo DST, através da dstelecom, é mecenas de um projecto da Associação Semeiabraços que visa combater o isolamento social de doentes internados.

Combater o isolamento social de doentes internados no Serviço Nacional de Saúde (SNS) é o objectivo do projecto https://estou.org, uma iniciativa da Associação Semeiabraços, que tem como mecenas o grupo DST, através da empresa dstelecom.
Parceiro do projecto desde o primeiro momento, a dstelecom disponibiliza serviços de consultoria e é a ponte para a realização de contactos com novos parceiros e patrocinadores relevantes, com o objectivo de fazer crescer esta rede de apoio de natureza social e assim combater o isolamento.

O projecto ‘estou’ pretende doar 2500 tablets aos hospitais do SNS, com um software específico que permite fazer chamadas em videoconferência, mesmo por aqueles que estão menos familiarizados com as novas tecnologias, uma vez que este número representa os cerca de 10% dos doentes internados que estimam terem capacidade para efectuar videochamadas, mas que não dispõem de meios para o fazerem.
O “estou” nasceu em plena pandemia Covid-19, por iniciativa de um grupo de médicos que, preocupados e comovidos com os seus doentes internados em isolamento, decidiram replicar em Portugal o projecto espanhol ‘Acortando la distancia’ (encurtando a distância).

Luísa Machado, profissional de saúde ligada às novas tecnologias, Cândida Santos, professora na Porto Business School e André Jacques, especialista em Marketing e Comunicação, lideram o projecto daquela associação sem fins lucrativos que procura mitigar a falta “dos vínculos afectivos, a voz que não se ouve, o sorriso que não se vê, a palavra que não se diz”, uma das realidades mais duras de enfrentar pelos doentes, idosos e respectivos familiares durante os períodos de internamento e isolamento.
“Com recurso a tablets dotados de um software muito simples, os doentes, com apenas dois clicks, podem fazer uma videochamada e, para além da voz, também o olhar se associará à comunicação, possibilitando que a linguagem não verbal chegue ao que as palavras não dizem” adianta a associação.

Sobre os parceiros, a associação destaca o papel da dstgroup que prontamente se disponibilizou para apoiar o projecto.
“Uma das primeiras pessoas com quem falámos sobre o projecto foi com o José Teixeira, presidente do dstgroup que, nesse mesmo momento, mobilizou os profissionais da dstelecom a ajudar a pensar o projeto e a contactar com as operadoras de comunicações. O seu apoio foi e é imensurável”, sublinham.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho