Correio do Minho

Braga, terça-feira

Grupo de alunos põe mãos à obra e limpa troço do rio Este
Câmara de Montalegre avança com plano para evitar fogos

Grupo de alunos põe mãos à obra e limpa troço do rio Este

Mosteiro de Santa Maria de Bouro inspira segundo azulejo

Braga

2017-12-11 às 10h15

Redacção

No âmbito da iniciativa proposta pela Equipa Eco-Escola e Projecto Rio, um grupo de alunos do 1.º e 2.º ciclo do Agrupamento de Escolas de André Soares pôs mãos à obra e limparam a margem e um pequeno troço do rio Este junto à EB 1 de Ponte Pedrinha. O troço, adoptado há cerca de dois anos pelo agrupamento de escolas, tem vindo a ser monitorizado e intervencionado numa tentativa de preservar, sensibilizar e melhorar este pequeno espaço pertencente ao património natural do concelho de Braga.

No âmbito da iniciativa proposta pela Equipa Eco-Escola e Projecto Rio, um grupo de alunos do 1.º e 2.º ciclo do Agrupamento de Escolas de André Soares pôs mãos à obra e limparam a margem e um pequeno troço do rio Este junto à EB 1 de Ponte Pedrinha.
O troço, adoptado há cerca de dois anos pelo agrupamento de escolas, tem vindo a ser monitorizado e intervencionado numa tentativa de preservar, sensibilizar e melhorar este pequeno espaço pertencente ao património natural do concelho de Braga.

A intervenção por parte deste grupo de alunos resultou na retirada de lixo variado das margens do rio Este. Foram retiradas, maioritariamente, garrafas de vidro, restos de comida, pneus e plástico.
Durante a intervenção os alunos verificaram que devem existir muitas condutas de saneamento ligadas ao rio pela constatação da presença de inúmeras toalhitas, pensos higiénicos, restos de detritos de cozinhas, indicando ligações ilegais feitas ao rio. Do rio foram, ainda, retiradas roupas, tubos de plástico, plásticos de grandes dimensões e objectos que, possivelmente, foram depositados pelos transeuntes e população da zona.

Da monitorização foram analisados vários parâmetros físico-químicos da água, tendo-se verificado que água se encontra cristalina mas com um cheiro desagradável provocado por detritos negros e lixo escondido no fundo das margens do rio. Foi ainda realizado um levantamento e classificação de vertebrados e macroinvertebrados aquáticos presentes neste troço. Deste levantamento voltou a verificar-se a inexistência de macroinvertebrados, indicador da fraca qualidade da água nesta zona.
Da avaliação realizada, conta-se que o estado do rio é mau, mesmo que, à primeira vista, pareça limpo e agradável.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.