Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Grupo Casais contrata 348 jovens nos últimos seis anos
Mais de 1500 cravos vestem Vila Verde de Abril

Grupo Casais contrata 348 jovens nos últimos seis anos

Expansão chega à Trofa

Grupo Casais contrata 348 jovens nos últimos seis anos

Economia

2023-01-22 às 10h14

Redacção Redacção

De 2016 a 2022, só em Portugal, o o grupo empresarial bracarense Casais contratou 348 jovens, até aos 29 anos de idade.

Citação

De 2016 a 2022, só em Portugal, o o grupo empresarial bracarense Casais contratou 348 jovens, até aos 29 anos de idade. Para continuar a promover esta política de contratação, a empresa assinou recentemente o ‘Pacto Mais e Melhores Empregos para os Jovens’, que tem como objectivo operar uma mudança no actual contexto de vulnerabilidade associado ao emprego juvenil.

A iniciativa decorre do ‘Livro Branco Mais e Melhores Empregos para os Jovens’ e é promovida pela Fundação José Neves e pela Secretaria de Estado do Trabalho.
Com esta parceria, o Grupo Casais compromete-se, até 2026, a reforçar a contratar e a reter jovens trabalhadores, a garantir emprego de qualidade para os jovens, a formar, desenvolver e a dar voz aos jovens.
António Carlos Rodrigues, CEO do Grupo Casais, assinala que “esta é uma parceria que eleva a qualidade do nosso serviço. Contar com jovens na nossa equipa, é contar com a vanguarda das técnicas e do co- nhecimento aplicada ao nosso trabalho, conseguindo assim oferecer aos nossos clientes o melhor resultado final”.

Só em 2022, o Grupo Casais contratou, em Portugal, 125 jovens até aos 29 anos, empregos que continuam activos. O total de admissões em 2022, ainda activas, chegou às 552. Se recuarmos a 2016, o total de admissões ainda activas é de 1 395.
Carlos Oliveira, presidente executivo da Fundação José Neves, realça que o ‘Pacto Mais e Melhores Empregos para os Jovens’ “é um acordo muito importante para o país, que une as empresas e entidades públicas para responder a uma realidade com que o país se debate há demasiados anos: a vulnerabilidade do emprego dos jovens, mesmo dos mais qualificados, que tendem a estar mais expostos ao desemprego e a ter salários baixos”.
Carlos Oliveira defende que “é preciso fazer algo para mudar o estado das coisas e o Pacto assinado vai permitir medir o impacto e os resultados do mesmo’ e disse esperar “ainda que muitas mais empresas se juntem. Estamos a fazer acontecer e o papel das empresas é fundamental para uma alteração estrutural desta situação”.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho