Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Grandes obras surrealistas para admirar em Famalicão
Feira e Festas de S. Miguel arrancaram com grande animação

Grandes obras surrealistas para admirar em Famalicão

Primeira fase da Ecovia é inaugurada no sábado em Guimarães

Cávado

2018-08-13 às 14h00

Redacção

É a primeira exposição do Centro Português do Surrealismo, cedida pela Fundação Calouste Gulbenkian e para ver até dia 8 de Setembro.

A exposição ‘O Surrealismo na Colecção Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian’ pode ser apreciada no Centro Português do Surrealismo da Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, até ao próximo dia 8 de Setembro.
Recorde-se que foi precisamente esta exposição que inaugurou o Centro Português do Surrealismo, em Junho último, e neste momento acolhe mais de 3000 obras na sua colecção - sendo actualmente uma das mais importantes colecções de arte surrealista em Portugal.

A exposição temporária conta com um empréstimo de quase 60 obras surrealistas portuguesas pertencentes ao Museu Calouste Gulbenkian – Colecção Moderna.
Pintura, escultura, desenho, fotografia e gravura. Esta exposição de arte da Fundação Calouste Gulbenkian inclui obras de mais de uma dezena de artistas portugueses, entre os quais se contam os nomes de António Pedro, António Dacosta, Marcelino Vespeira, Fernando de Azevedo, Cruzeiro Seixas, Fernando Lemos ou Mário Cesariny.
A mostra trata, no fundo, de um regresso ao acontecimento plástico de um período artístico que deixou grandes obras e grandes vultos.
Esta exposição representa também “um estímulo à investigação e compreensão”, quer de atitudes, quer de pensamentos, levados a cabo por autores que desafiaram a situação social e política da época, demonstrando audácia, inteligência e liberdade.

A exposição ‘O Surrealismo na Colecção Moderna da Fundação Gulbenkian’ tem também um catálogo onde estão reproduzidas todas as obras expostas e um vasto núcleo de obras da Colecção Moderna, ao todo 197 imagens. Os textos são de Pedro Álvares Ribeiro e Penelope Curtis, com um ensaio de António Gonçalves e Perfecto E. Cuadrado e outro de Laura M.Fonseca. A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira das 10 às 12.30 horas e das14 às 18 horas. Aos sábados e feriados das 14 às 18 horas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.