Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Goleada na estreia de Artur Jorge revitaliza Guerreiros do Minho
Viana: Este ano o desafio é sentir as Festas D’ Agonia

Goleada na estreia de Artur Jorge revitaliza Guerreiros do Minho

Terras de Bouro: Romaria de S. Bento com segurança

Goleada na estreia de Artur Jorge revitaliza Guerreiros do Minho

Desporto

2020-07-05 às 19h27

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

SC Braga voltou aos triunfos (4-0) na estreia do novo técnico. Golos foram todos apontados na segunda parte.

Uma goleada revitalizante, na estreia de Artur Jorge no comando técnico do SC Braga. Os Guerreiros do Minho retomaram o caminho das vitórias e a luta pelo terceiro lugar da Liga perante um Desportivo das Aves condenado no último lugar do campeonato, mas só na segunda parte é que a equipa bracarense desbloqueou o jogo. Duas partes distintas, frente a um adversário fechado em termos defensivos e coeso, a deixar à vista alguma falta de dinâmica bracarense e profundidade, que apenas se viu em campo no segundo tempo. Em cinco minutos, Rui Fonte e Ricardo Horta abriram caminho ao triunfo, selado com golos de Ruiz e Paulinho.
Perante um Aves já com a sentença da descida de divisão, o SC Braga entrou determinado a imprimir um sentido único ao jogo, com Paulinho a dar logo o primeiro aviso, mas acabou por ver a equipa visitante dispor da melhor oportunidade da primeira parte, aos cinco minutos, num cabeceamento de Diakhité travado pelo poste direito da baliza de Matheus.
Apesar do susto, a superioridade arsenalista acentuou-se: houve maior domínio dos guerreiros, mais posse de bola, mas em termos ofensivos estiveram algo previsíveis, frente a um adversário bem fechado defensivamente, a não dar grande espaço para criatividade. Rui Fonte esteve em grande posição para inaugurar o marcador, mas Aflalo defendeu com a cara; Ricardo Horta colocou também à prova o guardião avense e Paulinho ainda introduziu a bola na baliza, mas estava em posição irregular nas duas vezes. Daí o nulo ao intervalo, justificado, sobretudo, pela falta de profundidade no ataque bracarense.
A estatística mostrava isso mesmo: 66 por cento de posse de bola para o SC Braga, seis remates para apenas três dos visitantes e três oportunidades de golo para uma.
Na segunda parte, foi um SC Braga totalmente diferente e com outra dinâmica, que em apenas cinco minutos marcou dois golos e desbloqueou o jogo. Rui Fonte abriu caminho com um cabeceamento potente após canto e, logo depois, Ricardo Horta ampliou numa grande jogada de ataque que começou nos pés do estreante Fabiano. O defesa lançou Paulinho que serviu Ricardo Horta para um remate de primeira.
Os golos abalaram a equipa de Manta Santos e o jogo ficou sem história. O Aves não conseguiu responder, o SC Braga foi controlando com bola e chegou com naturalidade ao terceiro golo de Abel Ruiz. Já nos descontos, Paulinho fechou a contagem.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho