Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Gil Vicente: "Temos cinco finais para conseguir a manutenção"
Novos investimentos municipais beneficiam Ruivães e Novais

Gil Vicente: "Temos cinco finais para conseguir a manutenção"

Perto de meio milhão canalizado para rede viária e saneamento

Gil Vicente: ´Temos cinco finais para conseguir a manutenção´

Desporto

2020-07-05 às 12h21

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Vítor Oliveira defende que o Gil Vicente precisa de pontos “urgentemente”. Duelo contra o conjunto que “melhor joga em Portugal no pós-pandemia” é “muito difícil”. Equipa está a melhorar, acredita.

O Gil Vicente recebe esta tarde o Rio Ave (17 horas), no Estádio Cidade de Barcelos, em jogo a contar para a 30.ª jornada da I Liga.
Na conferência de antevisão do duelo com os vilacondenses, o técnico dos gilistas, Vítor Oliveira, valorizou as melhorias que a equipa minhota vem evidenciando, depois de uma retoma muito abaixo do nível exibido antes da paragem.
“Temos vindo a melhorar de jogo para jogo, o que é perfeitamente natural, e os jogadores estão em crescendo de forma. Agora, será um jogo tremendamente difícil, contra a equipa que melhor joga em Portugal no pós-pandemia. Precisamos de pontos urgentemente e temos cinco finais para conseguir a manutenção. Dependendo da nossa competência, poderemos abreviar esse número”, referiu o treinador de 66 anos, que considera ser “tão importante para o Gil manter-se na I Liga como para o Rio Ave ir à Liga Europa”.
Vítor Oliveira espera que, “dentro dos condicionalismos existentes”, a sua equipa consiga “impor o factor casa”, por forma a “recuperar o nível verificado quando isto tudo parou”.
“A paragem foi exagerada. Não entrámos como devíamos e ainda não nos encontrámos psicologicamente. Temos tido alguns castigos e lesões difíceis de recuperar. A falta de público em casa, que era determinante para nós, implica menor concentração e gera menor rendimento. A realidade é esta e não vale a pena estar com desculpas”, referiu o técnico, que defendeu ainda que “as equipas são fortes quanto mais opções tiverem e mais competitividade exisitir na discussão das opções”, embora reconhecendo que a vivência de “um futebol completamente diferente” após a pausa provocada pela pandemia de Covid-19 não permite “juízos de valor a médio prazo”.
“As equipas do fundo da tabela têm feito muitos pontos e as equipas de topo têm perdido muitos. O campeonato, algo desequilibrado, está bastante equilibrado. Nunca sabemos o que vai acontecer em cada jogo e o resultado é perfeitamente imprevisível. Temos de nos acautelar e somar os pontos necessários para ficar na I Liga”, disse.
A cinco jornadas do fim, o Gil Vicente é 13.º com 33 pontos e recebe esta tarde o Rio Ave, quinto classificado com 47 pontos. O jogo principia às 17 horas e terá arbitragem de Iancu Vasilica, da Associação de Futebol de Vila Real.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho