Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Gil Vicente aviva memórias no Lar Santo André
João Granja pede explicações sobre vacinação

Gil Vicente aviva memórias no Lar Santo André

Desconfinamento atrai mais clientes às lojas e significa esperança na retoma económica

Gil Vicente aviva memórias no Lar Santo André

Desporto

2021-03-04 às 16h00

Miguel Machado Miguel Machado

O amor ao clube da terra não se apaga nem com o tempo. O Gil Vicente associou-se uma iniciativa da Misericórdia de Barcelos e surpreendeu os utentes do Lar de Santo André. Jogadores gilistas ficaram encantados com histórias antigas do clube.

“Há memórias, sentimentos e emoções pelo clube da terra, o Gil Vicente, que nem o tempo nem a doença foram capazes de apagar”, destacam os responsáveis da Santa Misericórdia de Barcelos que surpreenderam os utentes do Lar de Santo André com uma visita de jogadores da equipa principal gilista.
Cumprindo as regras de segurança, foi um momento de partilha de memórias, que deixaram certamente os jogadores do Gil Vicente encantados. Entre elas a de Duarte Melo, de 85 anos, que foi sócio do clube durante 43, e que ainda guarda com carinho o seu cartão n.º 1339. Adepto gilista ainda se lembra “com muita alegria” da subida à 2.ª Divisão em 1965, quando os barcelenses venceram o Vianense, por 3-0.
Também Emília Durães, de 85 anos, segundo relato da SCMB, se lembra ainda da primeira vez que foi ao estádio por insistência do irmão e do pai. “Agora vibro com as vitórias e rezo para que ganhem” conta Emília, que deixou o testemunho registado num caderno de Memórias Gilistas, e que foi entregue aos jogadores.
Eugénia Leite, de 84 anos, que teve um irmão que jogou no Gil Vicente, foi uma das que mais se emocionou com a visita.
Da equipa, o defesa Henrique Gomes deixou palavras de esperança aos utentes, prometendo “que a equipa vai fazer tudo para honrar sempre o clube”.
O provedor Nuno Reis agradeceu a disponibilidade do Gil e referiu que são iniciativas bonitas como esta que “estimulam as pessoas a recordar histórias antigas” que as fazem sentir, que apesar da pandemia, “não estão isoladas do mundo.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho