Correio do Minho

Braga, terça-feira

Gavião repõe memória do Cardeal Cerejeira em “respeito pela História”
Município de Monção requalifica freguesia de Barroças e Taias

Gavião repõe memória do Cardeal Cerejeira em “respeito pela História”

Multidão invadiu vila de Póvoa de Lanhoso para assistir ao cortejo histórico e etnográfico

Vale do Ave

2019-02-11 às 06h00

José Paulo Silva

Largo de Gavião volta a exibir, desde ontem, um padrão em homenagem ao Cardeal Cerejeira. Arcebispo primaz e presidente da Câmara Municipal aplaudiram exercício de recuperação da memória.

“Um exercício de respeito pela História. Um gesto para que a História possa ser correctamente interpretada”. Foi desta forma que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão classificou, ontem, a atribuição do topónimo Cardeal Cerejeira a um largo da freguesia de Gavião.

Na cerimónia em que foi inaugurada uma réplica do marco em pedra que, em 1950, assinalou a inauguração do Bairro Cardeal Cerejeira, Paulo Cunha esclareceu que “não estamos a fazer nenhum juízo de valor” sobre a figura e a acção de um famalicense que dirigiu a Igreja Católica portuguesa durante o período do Estado Novo, mas, em respeito pela História, “a homenagear também a população da freguesia de Gavião pela perpetuação da sua memória”.
O bairro inaugurado há sete décadas com a presença do Cardeal Cerejeira passou a chamar-se Bairro de S.Vicente em 1975, por decisão da população local, tendo desaparecido nessa altura o marco que ontem foi reposto.
Presente na cerimónia, o arcebispo primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, defendeu que não se deve “destruir a História” nem se pode “olhar para as pessoas do passado com os olhos de hoje”.

Natural da freguesia de Lousado, o Cardeal Cerejeira foi, nas palavras de D.?Jorge Ortiga, “um homem com muita influência e muita presença na História que Famalicão tem o dever de homenagear”.
O arcebispo considerou que é importante “recuperar” a figura de Manuel Gonçalves Cerejeira, que “poderá ser uma referência para a juventude, já que pôs os seus talentos a render a favor da Igreja e da sociedade portuguesas”.
A memória da presença do Cardeal Saraiva na inauguração do bairro que teve o seu nome “é um estímulo para que pensemos nos mais necessitados”, afirmou D.?Jorge Ortiga.
Para o presidente da Junta de Freguesia de Gavião, António Emídio, com a atribuição do Largo Cardeal Cerejeira e a inauguração do marco em sua homenagem, o seu executivo abriu “uma janela da nossa História que se encontrava fechada de há uns anos para cá”.
O autarca local salientou que o Cardeal Cerejeira foi “uma figura ímpar da Igreja portuguesa” e que “nunca é tarde para corrigir as injustiças da nossa História”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.