Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Garra famalicense permitiu um regresso à acção perfeito
Unidos pelo coração e pelo amor à arte

Garra famalicense permitiu um regresso à acção perfeito

Máscaras e vestuário hospitalar dão a volta ao mundo têxtil

Garra famalicense permitiu um regresso à acção perfeito

Desporto

2020-06-04 às 06h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

Fábio Martins e Pedro Gonçalves quiseram dar o melhor reinício do campeonato ao Famalicão, marcando os dois golos que permitiram derrotar o FC Porto, que ainda respondeu por Corona.

As equipas entraram com toda a garra e determinação nesta retoma da competição na I Liga. Ao contrário do que se poderia pensar, depois de uma paragem de quase três meses na competição, Futebol Clube de Famalicão e Futebol Clube do Porto apresentaram-se em excelente momento físico e com enorme vontade de conquistar os três pontos em disputa no encontro.
É certo que com o decorrer dos minutos, notou-se algum cansaço nos jogadores, como seria perfeitamente expectável e normal, mas a verdade é que a ambição das duas formações também era notória.

Com alguma naturalidade também, uma vez que lutam para defender a liderança do campeonato, os dragões entraram mais fortes e mandões na partida, conseguindo criar algumas situações para chegar ao perigo à baliza de Rafael Defendi, que respondeu sempre à altura, evitando mesmo o golo de Marega, logo aos 11 minutos. A resposta famalicense chegou aos 21 minutos, quando Diogo Gonçalves também cheirou o golo, mas sem eficácia na finalização.

Apesar do maior ascendente dos portistas durante os primeiros 45 minutos, o resultado acabou por não sofrer qualquer tipo de alteração, mantendo-se o nulo ao intervalo, mas a promessa de mais emoções para o segundo tempo. E foi o que se confirmou!
Praticamente no reinício da partida, Fábio Martins fez festejar os famalicenses ao aproveitar um erro enorme do guarda-redes Marchesín. O avançado do Famalicão só teve mesmo que encostar para o fundo das redes após passe do guardião dos dragões. Um golo que lançava o Famalicão para uma retoma da I Liga a grande nível.

No entanto, o FC Porto não se deixou abater e foi procurando a resposta ao golo sofrido, que chegou aos 74 minutos, por intermédio de Corona, que já dentro da área dominou muito bem o esférico e rematou pelo buraco da agulha para fazer o empate.
Uma igualdade que, no entanto, durou apenas quatro minutos, uma vez que Pedro Gonçalves dominou a bola no meio campo, tabelou com Racic e arrancou para a baliza dos dragões, fechando a jogada e o jogo, com um remate bem colocado que acabou por matar o jogo e dar a vitória ao Famalicão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho