Correio do Minho

Braga, quinta-feira

França e Bélgica lutam hoje pelo acesso à final do Mundial'2018
Jovens detidos em Esposende por alegado tráfico de droga

França e Bélgica lutam hoje pelo acesso à final do Mundial'2018

Câmara de Famalicão reabilita três escolas do 1.º ciclo

Desporto

2018-07-10 às 14h00

Miguel Machado

Jogo começa às 19 horas em São Petersburgo e vai ditar o primeiro finalista do Mundial’2018. Seleccionador francês reconhece potencial belga mas quer vencer. Treinador da Bélgica fala em oportunidade única.

Chegou o dia de mais uma decisão na Rússia, que vai apurar o primeiro finalista do Mundial 2018: França ou Bélgica. Do lado dos franceses, Didier Deschamps reconhece o potencial da Bélgica, adversária nas meias-finais, mas acredita na possibilidade de ser campeão mundial como técnico, depois de o ter sido como jogador.
“De momento apenas faço parte do grupo de eleitos que pode jogar uma meia-final. Espero essa pergunta para mais tarde. Mas não me vou queixar” disse quando questionado face à possibilidade de ser campeão mundial como treinador, após o ter sido em 1998, como jogador.

Deschamps, que levou a França à final do Euro2016, perdida frente a Portugal, deixou muitos elogios à Bélgica. “Esta selecção sempre contou com jogadores de muito talento, é uma geração forte. Roberto Martínez fez um grande trabalho e continua o que estava a ser feito por Marc Wilmots”, referiu Deschamps.
O treinador francês considera conhecer bem os belgas, mas avisou que o adversário também conhece a sua equipa, pois vários jogam entre si nos clubes.

Por sua vez, o seleccionador da Bélgica, o espanhol Roberto Martínez, disse que treina “uma geração maravilhosa” que vai enfrentar “uma oportunidade única”, na antevisão da meia-final com a França.
“Este grupo, esta geração, são maravilhosos. É um plantel que dá sempre o máximo e é capaz de competir a um nível alto. Não há mais segredos, aspetos ou razões específicas. É o grupo que conta”, disse na antevisão.
Segundo Martínez, a vitória sobre o Brasil, nos quartos de final, deu mais “convicção” para o resto da prova e subiu a autoestima do grupo. Enfrentar a França, campeã mundial em 1998, é “um aliciante maior” para o que já é “uma grande oportunidade para todos”.

Entre amigáveis, Europeus e Mundiais, as duas selecções já se encontraram 73 vezes - é preciso recuar até 1904 para recordar o primeiro confronto. Os belgas saíram vitoriosos em 30 batalhas, enquanto os franceses venceram 24, e 19 partidas acabaram em empate.

Árbitro português Artur Soares Dias no vídeoárbitro
O árbitro português Artur Soares Dias estará como vídeoárbitro na meia-final entre França e Bélgica, anunciou a FIFA.
O árbitro principal da partida será o uruguaio Andrés Cunha, assistido pelos também uruguaios Nicolas Taran e Mauricio Espinosa, e tendo como 4.ª árbitro o mexicano César Ramos.
Será o terceiro jogo de Andrés Cunha no Campeonato do Mundo, o segundo a dirigir um jogo da selecção gaulesa, depois do França-Austrália.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.