Correio do Minho

Braga, terça-feira

Fórum define Plano para a Igualdade
Câmara Municipal de Viana do Castelo investe 1,6 milhões nas 27 freguesias

Fórum define Plano para a Igualdade

Famalicão: Mais de 90 mil pessoas passaram pela Casa das Artes em 2017

Braga

2017-07-17 às 10h11

Redacção

Desenvolver um Plano Municipal para a Igualdade e delinear uma intervenção consertada na área da violência doméstica foram dois dos objectivos da reunião do Fórum Concelhio sobre Igualdade de Género e Prevenção e Combate à Violência Doméstica que decorreu no Palácio do Raio, numa iniciativa da Cáritas Arquidiocesana de Braga, em parceria com o Município bracarense.

Desenvolver um Plano Municipal para a Igualdade e delinear uma intervenção consertada na área da violência doméstica foram dois dos objectivos da reunião do Fórum Concelhio sobre Igualdade de Género e Prevenção e Combate à Violência Doméstica que decorreu no Palácio do Raio, numa iniciativa da Cáritas Arquidiocesana de Braga, em parceria com o Município bracarense.

A reunião contou com a participação das várias instituições que intervêm de forma directa e indirecta na problemática da violência doméstica, nomeadamente a APAV, a Associação Projecto Criar, a Bragahabit, o CAFAP, a Cáritas Arquidiocesana de Braga, a Comissão de Protecção ao Idoso, a CPCJ, a DGRS, a EPVA, o GIAPI, o IEFP, o Instituto da Segurança Social - Núcleo de Intervenção Social, o Município de Braga, o NIAVE - GNR, a PSP e o Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

A finalidade foi como referido, delinear uma intervenção concertada, que congregue a participação de todos os actores sociais e a mobilização dos recursos na área da violência doméstica.
No âmbito deste Fórum prevê-se a construção de um Modelo Colaborativo que reforce a articulação das respostas existentes, numa lógica de proximidade e complementaridade, bem como o desenvolvimento do Plano Municipal para a Igualdade.

“Por meio de um modelo assente na cooperação entre todos os parceiros concelhios, pretende-se favorecer uma protecção mais eficaz das vítimas, promover a capacitação dos profissionais de intervenção e facilitar a actuação articulada por parte de todas as entidades”, refere a Cáritas em comunicado.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.