Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Foi “mágico” voltar a ter público e receber aplausos
Cruzar os ceús de Braga pelos sonhos do Tomás

Foi “mágico” voltar a ter público e receber aplausos

Cabeceiras de Basto: Cemitérios não encerram no Dia de Todos os Santos

Foi “mágico” voltar a ter público e receber aplausos

Entrevistas

2020-09-19 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Mário Daniel subiu ao palco do Altice Forum Braga e ficou “deslumbrado” com a sala de espectáculos da cidade. Depois de sete meses sem pisar o palco, o mágico estava “entusiasmado” com o regresso. “Foi mágico ter público, poder actuar e receber aplausos, ou seja, voltar à normalidade”.

“A mais bela coisa que podemos vivenciar é o mistério. Ele é fonte de qualquer arte verdadeira e qualquer ciência. Aquele que desconhece esta emoção, aquele que não pára mais para pensar e não se fascina, está como morto: seus olhos estão fechados.”
Albert Einstein

Desafiar os limites dos nossos sentidos e perceber que aquilo que é a nossa percepção não é aquilo que é e tornar o impossível em possível foram os ingredientes de uma noite cheia de magia, ilusão e superação. Entre enigmas e truques com baralhos de cartas, cúbicos mágicos, botões, telemóveis, notas e até o jornal Correio do Minho, Mário Daniel regressou aos palcos também para celebrar o segundo aniversário do Altice Forum Braga. O público não faltou. Cumpriu todas as regras de segurança, participou activamente nos truques, riu, foi surpreendido vezes sem conta e aplaudiu em pé.
Devido à pandemia, Mário Daniel não subia aos palcos há sete meses. “Foi especial para mim ser em Braga, que é uma cidade que eu adoro. Já da primeira vez que cá estive, no Theatro Circo, correu muito bem”, começou por referir o mágico, no final do espectáculo que ‘encheu’ o auditório do Altice Forum Braga.

“Faço magia desde os 14 anos e foi a primeira vez que estive sete meses sem fazer espectáculos. Fiz algum trabalho on-line, mas não é a mesma coisa e acabou também por ser restrito”, contou.
A complexidade que este espectáculo teve a nível físico, já que obriga a uma preparação sobretudo da apneia, foi completamente diferente do habitual. “Quando se está rodado e tem espectáculos na estrada, semana após semana, vou mantendo os padrões, mas neste caso, só treinei em casa. Por isso, conseguir o relaxamento necessário diante uma plateia é muito mais exigente”, assegurou o mágico, admitindo que a sensação que teve no último número apresentado “foi quase de estreia do próprio espectáculo”.

E este foi um “espectáculo especial” porque Mário Daniel queria que não fosse meramente ilusão. E os exemplos de que tudo “vai mais longe do que a ilusão” são muitos ao longo do espectáculo. “O caso da apneia ou o contar os botões através da audição são números muito exigentes”, confessou o mágico, referindo ainda o facto de ter abortado um dos números. “O número de apanhar um mentiroso só é possível fazer lendo os sinais que a pessoa transmite, mas percebi que com a máscara é muito mais difícil. Não testei nem fiz esse exercício, não estamos habituados e perante essa conjectura acabei por abortar o número a meio”, justificou.
Sempre que aposta num conceito para um espectáculo, Mário Daniel cria uma “espécie de bailado, porque tudo tem uma coreografia de início até ao fim” e para isso contribuíram as questões emotivas, os próprios adereços e até a colocação dos objectos em palco.

Sobre ‘Minutos Mágicos - O Espectáculo’, Mário Daniel lembrou que já estava em digressão antes da Covid-19 chegar a Portugal e foi obrigado a cancelar todos os espectáculos. “Não fizemos muitas cidades antes da Covid-19 e Braga estava nos planos para a altura em que a Covid-19 começou. O grande desafio foi manter os espectáculos, porque muitos foram cancelados. Em muitos locais a lotação já era reduzida e com as novas regras tivemos também que cancelar espectáculos, porque não era viável financeiramente”, assegurou.
Braga manteve-se na agenda. “Esta é uma cidade grande e com um auditório incrível e assumi logo que íamos arriscar e ainda bem”, revelou o mágico.

Questionado sobre a televisão, Mário Daniel foi peremptório: “por acaso estou outra vez com vontade de voltar à televisão”.
Depois do sucesso das quatro séries com quase 50 episódios do programa ‘Minutos Mágicos’, neste momento, o mágico sente que “há uma janela de oportunidade” e está “motivado” a voltar a fazer televisão.
“A televisão dá visibilidade incrível e permite fazer o melhor que há, que é isto: fazer um espectáculo ao vivo e ter uma sala cheia. Não há nada mais saboroso que isto e trabalhar tudo ao pormenor. Mas em televisão o produto queima-se muito rápido e desgasta-se e temos que ter truques, conteúdos e histórias diferentes e torna-se muito doloroso fazer uma série de magia em televisão”, desabafou.

Mário Daniel não conhece nenhum mágico que tenha o número de truques que ele fez em televisão ao longo dos últimos 20 anos. “Uma coisa é ter um programa e levar convidados e outra coisa é o programa ser inteiramente eu a fazer magia e construir histórias e ideias com a minha equipa, que também é composta por mágicos”, revelou, admitindo que “é desgastante e às vezes ingrato, porque trabalha-se muito para aquele dia e depois muitas vezes não funciona em mais contexto nenhum”.

“Melhor sala do país tem potencial incrível para muitos espectáculos de magia”

Completamente rendido pelo auditório do Altice Forum Braga, o mágico Mário Daniel confirmou que “é a melhor sala do país” que conhece, face “ao número de lugares, ângulos e visibilidade”.
“É uma sala inacreditável e tem um potencial incrível para se fazer muitos espectáculos de magia”, confirmou.
Sensivelmente com 1500 lugares, Mário Daniel sublinha o facto de se olhar em palco e dar a ideia que estão apenas cerca de 500 pessoas no auditório. “É fantástica”, atirou.
Sobre o espectáculo, o mágico fez um balanço “muito positivo”.

“Foi um desafio e tivemos uma boa casa”, referiu Mário Daniel, admitindo que o espectáculo ter ser adiado para agora, em jeito de comemoração do segundo aniversário do Altice Forum Braga, também “foi uma boa coincidência”.
No final do espectáculo, Mário Daniel sentiu a “missão cumprida”, sabendo que não é fácil para as pessoas regressarem.
“Neste momento, há muitos filtros de público, os que têm medo, os que perderam a rotina, outros que preferem fazer outros programas nesta altura do ano”, admitiu o mágico, adiantando que tem, entretanto, em agenda dois espectáculos em Santa Maria da Feira, ontem e hoje. ‘Minutos Mágicos - O Espectáculo’ continua depois em Ponte de Lima. “Os espectáculos de Santa Maria da Feira estão quase lotados, mas são salas mais pequenas e não se compara ao Altice Forum Braga”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho