Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
‘Foguete’ de Boselli atira todas as decisões para o conforto do lar
Concerto dos Calema anima Praia Fluvial da Ponte do Bico no próximo domingo

‘Foguete’ de Boselli atira todas as decisões para o conforto do lar

Projecto apoia cuidadores informais

‘Foguete’ de Boselli atira todas  as decisões para o conforto do lar

Desporto

2022-08-04 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Jogo histórico terminou empatado. Menor andamento trouxe dificuldades mas a transfiguração após o intervalo motivou ascendente reforçado pelo golão do ex-Tondela. Tira-teimas em Barcelos.

Citação

Assistiu-se à velha e clássica questão das duas partes distintas ao final da tarde de ontem, no Skonto Stadium, em Riga, na Letónia. Um Gil Vicente à procura da melhor postura pela estreia em mares nunca dantes navegados deu lugar à (sua) melhor versão possível em fase tão precoce da temporada, coroada com um grande golo de um reforço que promete dar que falar e que, de tão boa que foi, deixou ainda um amargo de boca pelo tremendo desperdício de Alipour, a falhar o que poderia ter sido uma vitória justa e esclarecedora quanto às diferenças técnico-tácticas entre as equipas. O andamento dos letões é maior, nesta fase, sem dúvida, mas o requinte, a destreza e a execução são virtudes que, no tapete verde, ficaram bem mais à vista do lado dos barcelenses.
Mesmo com mais bola e a iniciativa propositadamente entregue por parte dos homens da casa, o Gil sentiu dificuldades para colocar em sentido o sector mais recuado do Riga que, por sua vez, apostava na velocidade pelos corredores para causar algum pânico na defesa gilista.
Numa dessas combinações, Soisalo serviu de forma atrasada para o interior da grande área, onde Douglas Aurélio, sem marcação, atirou sem hipóteses para Andrew.
Na etapa complementar tudo seria diferente e o Gil, soltando-se, enfim, das amarras, ganhou dinâmica e alguma intensidade, causando naturais problemas aos homens da casa. Primeiro, Fran Navarro, desperdiçou boa ocasião na cara de Purins, mas o golo da igualdade chegaria mesmo, à lei da bomba. Juan Boselli, recebendo a bola e sem a deixar cair, à entrada da área, aplicou um pontente e estrondoso remate de pé esquerdo para restabelecer a igualdade. O Gil estava por cima e ameaçou mesmo a reviravolta, mas Alipour, conseguindo-se isolar, não foi capaz de atirar para o golo na cara do guardião.
Há um favoritismo para confirmar daqui por uma semana (11 de Agosto), em Barcelos, às 20 horas, rumo ao play-off da Liga Conferência.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho