Correio do Minho

Braga,

Festival Famalicão Visão’25 entra na reta final
34 novas empresas por mês em Famalicão

Festival Famalicão Visão’25 entra na reta final

Estatísticas confirmam ímpeto empreendedor de Famalicão

Vale do Ave

2018-10-22 às 06h00

Redacção

Na quarta-feira, dia 24, pelas 10h00, no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide decorre o II Fórum de Inovação Social, com uma reflexão sobre os novos desafios das organizações sociais, configurando-se perspetivas à inovação e explorando-se novos caminhos e possibilidades de apoios às instituições. A iniciativa conta com a apresentação, análise e debate sobre práticas de inovação social existentes em Famalicão, face às políticas públicas e incentivos atualmente existentes.

Arranca hoje a última semana do Festival Famalicão Visão’25 que decorre sob o tema Comunidade de Futuro. Foram mais de 30 dias de atividades e iniciativas que mobilizaram e envolveram os famalicenses no debate e reflexão sobre as prioridades estratégicas para o concelho nos próximos anos. Na reta final do evento destacam-se três grandes iniciativas que marcam a atualidade.
Esta terça-feira, 23 de outubro, a partir das 9h00, no auditório da Fagricoop – Cooperativa Agrícola dos Produtores de Leite de Vila Nova de Famalicão realiza-se o II Fórum Bio Capital com os objetivos de capacitar parceiros e fomentar o aparecimento de novos negócios no setor agrícola e agroalimentar, refletindo sobre as políticas públicas e os desafios colocados à produção biológica e analisando dinâmicas e tendências de consumo e comercialização de produtos.

Na quarta-feira, dia 24, pelas 10h00, no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide decorre o II Fórum de Inovação Social, com uma reflexão sobre os novos desafios das organizações sociais, configurando-se perspetivas à inovação e explorando-se novos caminhos e possibilidades de apoios às instituições. A iniciativa conta com a apresentação, análise e debate sobre práticas de inovação social existentes em Famalicão, face às políticas públicas e incentivos atualmente existentes.

Na sexta-feira, dia 26, realiza-se também no Centro de Estudos Camilianos, a partir das 9h00, o colóquio “A linha do Tempo e o Tempo de Reabilitar”, reunindo um conjunto diversificado de especialistas nacionais nas áreas da arquitetura e do património. Pretende-se no fundo, promover uma reflexão sobre a evolução da arquitetura tradicional até à contemporânea e as atuais dinâmicas de reabilitação segundo os contextos dominantes no território famalicense (rural, urbano, industrial). Na sessão será entregue o Prémio de Reabilitação Januário Godinho e inaugurada a exposição “A Linha do Tempo”.

Entretanto, na quinta-feira, pelas 18h00, decorre na Casa das Artes a iniciativa International Day, com o encerramento do dia de boas-vindas aos estudantes estrangeiros em Famalicão e do dia de acolhimento das comitivas de Arteixo, Galiza, e de Liverpool, Reino Unido. A sessão ficará marcada pela formalização do Manifesto VNF.Alliance, que reúne um primeiro grupo de subscritores comprometidos com a estratégia de diplomacia para a internacionalização do concelho.

Sob o tema Comunidade de Futuro, o Festival Famalicão Visão’25 realiza-se até 27 de outubro, com a colaboração de mais de 60 entidades e a promoção de cerca de 25 ações diversificadas e descentralizadas, que envolvem diretamente muitas centenas de pessoas.

Recorde-se que o projeto Famalicão Visão 25 nasceu em 2014 no enquadramento da elaboração do Plano Estratégico 2014-2025 para o concelho, que apontou para o desenvolvimento de uma comunidade verde tecno-industrial global, num território verde multifuncional. Na altura, a autarquia utilizou o sofá para questionar os famalicenses sobre “como gostariam de ver Famalicão daqui a 10 anos?”, envolvendo-os num verdadeiro ato de cidadania e de participação cívica. Mais de mil pessoas sentaram-se no sofá e partilharam os seus projetos para o futuro com a comunidade.

Entretanto, em 2016, realizou-se a segunda edição do festival, sob o lema “Marcas de Futuro”, com um pedido sério de compromisso e envolvimento dos famalicenses com a comunidade. A questão colocada era “O que podes fazer por Famalicão”, sendo que a resposta implicava diretamente uma vontade e um compromisso. Compromisso esse que se pretende agora renovar com a pergunta “O que mais gosta de Famalicão?” a dar a ignição para uma grande reflexão coletiva sobre o futuro da comunidade.

O sofá amarelo acompanhará as várias iniciativas interpelando e interagindo com os famalicenses.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.