Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Fábio Pacheco: “Tenho saudades dos meus colegas”
Município de Viana do Castelo prepara Agenda para a Inovação 2030

Fábio Pacheco: “Tenho saudades dos meus colegas”

Município de Terras de Bouro comparticipa fichas escolares

Fábio Pacheco: “Tenho saudades dos meus colegas”

Desporto

2020-04-06 às 06h00

Ricardo Anselmo Ricardo Anselmo

Fábio Pacheco assume estar a passar, aos 31 anos, a “fase mais inusitada da carreira”. O médio dos cónegos diz não ver a hora de voltar a partilhar o balneário com os restantes colegas, mas antes, reconhece, é preciso travar uma outra luta.

Com 23 jogos disputados em 2019/20, um golo marcado, e uma série bem positiva de oito jogos sem derrotas na I Liga, o médio experiente do Moreirense viu-se obrigado, à imagem de grande parte da população mundial, a ficar confinado à sua habitação, na tentativa de travar a propagação da pandemia Covid--19.
“Tenho cumprido os planos que recebemos para mantermos a condição física. Como tenho dois filhos fica fácil preencher o tempo livre com brincadeiras e trabalhos com eles, sobrando ainda algum tempo para fazer coisas cá em casa”, referiu o médio, quando questionado sobre como tem ocupado os seus dias.

A adaptação a esta nova realidade, garante, não tem sido difícil, fruto do esforço que o staff tem feito para que nada falte aos atletas.
“Tenho conseguido adaptar-me a esta nova condição de treinos, apesar de treinar em casa. Não é fácil mas temos beneficiado de uma grande acompanhamento por parte da nossa equipa técnica, que nos permite manter os planos e rotinas diárias mais específicas possíveis para nos sentirmos confiantes e prontos para a competição quando voltarmos”, frisou.
Ainda assim, as saudades da relva e do futebol já são muitas.

“Passando muitas horas consecutivamente em casa, sentimos falta de tudo o que nos rodeava no futebol, mas do que tenho mais saudades é do treino em conjunto com os meus colegas, das brincadeiras no balneários e da adrenalina dos jogos”, admite, aproveitando para deixar uma mensagem de esperança aos adeptos.
“É importante sabermos cuidar de nós e dos outros e, para isso, todos sabemos que só ficando em casa estaremos mais perto de ultrapassar este obstáculo, para regressarmos aos relvados e às nossas vidas normais. No final de tudo isto vamos retirar uma grande lição, pois é a adversidade que torna o ser humano mais forte”, finalizou o médio do Moreirense.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho