Correio do Minho

Braga, sábado

Famalicão tem Rede de Ensino Pré-Primário que dá resposta a todo o concelho
‘BragaFado’ canta-se este ano em simbiose com o cinema

Famalicão tem Rede de Ensino Pré-Primário que dá resposta a todo o concelho

Município investe na protecção dos recursos hídricos das zonas afectadas pelos incêndios

Vale do Ave

2018-09-20 às 14h11

Redacção

“Este é um exemplo da boa despesa corrente, aquela que na verdade é um investimento, porque todo o esforço direcionado para a educação das novas gerações é um investimento de futuro e justificado por si só”, refere Paulo Cunha.

O regresso à escola em Vila Nova de Famalicão é também para os mais pequenos estudantes. As crianças a partir dos três anos de idade iniciaram esta semana a primeira etapa da educação básica na rede de ensino pré-escolar, cuja oferta cobre todo o território famalicense. “É um descanso para as famílias e um fator de competitividade do território”, assinala o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, lembrando que, “apesar de frequência facultativa, o ensino pré-escolar é assumido como um direito para todas as crianças e reconhecido o papel determinante no seu desenvolvimento”.

São 74 estabelecimentos de ensino, entre público (40), privado (2) e social (32), que compõem a rede local de ensino pré-escolar. Resultado de um forte investimento infraestrutural nas duas últimas décadas, a rede deste nível de ensino está consolidada no território, servindo atualmente perto de 3500 crianças.

Ao nível dos equipamentos públicos, estão afetos 63 educadores colocados pelo Ministério da Educação e 131 auxiliares da ação educativa geridos pelo município. Para assegurar o funcionamento corrente do ensino pré-escolar, o município investe todos os anos cerca de 2 milhões de euros em despesas correntes, que são aplicados nos recursos humanos afetos aos equipamentos, nos consumos de água, luz e gás, no acolhimento e prolongamento do horário, que garante às famílias a compatibilidade das escolas com os horários do trabalho, nas refeições escolares e na aquisição de material educativo e pedagógico. Significa isto um investimento médio da Câmara de cerca de 1500 euros por aluno do pré-escolar colocado na rede.

“Este é um exemplo da boa despesa corrente, aquela que na verdade é um investimento, porque todo o esforço direcionado para a educação das novas gerações é um investimento de futuro e justificado por si só”, refere Paulo Cunha.

Para além disso a Câmara tem em curso um leque de projetos pedagógico e educativos sócio -comunitários, que são dinamizados junto das escolas por técnicos municipais. São exemplos o programa Viagens pelo Património, Crescer a Brincar, Educação Parental, Falar, Ler e Escrever; Psicomotricidade, Ter Ideias para Mudar o Mundo. A estes juntam-se as atividades de animação socioeducativa e sociocultural, como o Cantar dos Reis, o Carnaval Infantil, as Marchas Antoninas Infantis, o Dia Mundial da Criança e os Serviços Educativos (Rede de Museus, Casa das Artes, Parque da Devesa).

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.