Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Famalicão transforma plástico dos oceanos em meias técnicas
Vitória SC cria plano de ajuda aos sócios com mais de 70 anos

Famalicão transforma plástico dos oceanos em meias técnicas

UMinho vai apoiar alunos na aquisição de computadores e no acesso à internet

Famalicão transforma plástico dos oceanos em meias técnicas

Vale do Ave

2020-02-15 às 10h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

A jornada pela Inovação destacou ontem o exemplo de economia circular praticado em Famalicão, onde o plástico dos oceanos ganham ‘nova vida’. Meia com cannabis é o próximo desafio.

Os resíduos plásticos retirados do fundo dos oceanos ganham nova ‘vida’ ao serem incorporados em meias técnicas desenvolvidas pela empresa famalicense Dune Bleue.
O carácter inovador do projecto levou Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Famalicão, a visitar ontem esta empresa famalicense, localizada em Cavalões, no âmbito do roteiro pela Inovação de Vila Nova de Famalicão.

“É tornar uma solução no que, de facto, é um problema. Esta dimensão de introduzir na cadeia produtiva, tendo como parte da matéria-prima os resíduos plásticos que estão no fundo do mar é notável e um sinal de esperança que se dá à comunidade”, afirmou Paulo Cunha, realçando que este exemplo deverá ser aplicado em muitas outras áreas.

“Estamos num contexto europeu de economia circular e o que está a acontecer aqui é um sinal inequívoco de que isso é possível, de que há mercado e acrescenta valor. O que para muitas pessoas é um problema, aqui é um factor de valorização, mas é também importante que o consumidor dê um sinal de adesão a este tipo de compra influenciando aquilo que é produzido”.

O edil famalicense salientou que a dimensão “cooperativa e de colaboração tem espaço na dinâmica competitiva, contrariando aquela ideia errada de que para competirmos, devemos andar a esconder uns dos outros. Nós podemos em conjunto criar e desenvolver projectos e sermos competitivos e concorrenciais que é o que acontece nesta empresa”, sublinhando que este “é um sinal de maturidade do sector empresarial do concelho de Famalicão, não é por caso que somos a cidade têxtil de Portugal e este é um bom exemplo disso.

O desafio da Dune Bleue é acrescentar valor técnico a uma meia básica preparando-a para um mercado específico.
Meias para militares, para a Casa Real Inglesa, meias hospitalares e meias de segurança para trabalho são alguns dos produtos desenvolvidos pela empresa famalicense para necessidades específicas e que são comercializados para todo o mundo com marca própria e em parceria com outras marcas.

O próximo desafio é incorporar fio de cannabis nas meias para fins terapêuticos.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho