Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Famalicão: Fundação Cupertino de Miranda mais próxima dos estudantes
Fé e devoção nas festividades em Pedralva

Famalicão: Fundação Cupertino de Miranda mais próxima dos estudantes

A ‘Última Ceia’ retratada à luz do abstracionismo geométrico

Vale do Ave

2015-05-20 às 14h28

Redacção

Bibliotecas Escolares e Públicas do Município de Vila Nova de Famalicão receberam livros da Fundação Cupertino Miranda. Fundação pretende assim dar um estímulo ao público estudantil.

A Fundação Cupertino de Miranda está mais próxima do público estudantil de Vila Nova de Famalicão. Aproveitando a comemoração do Dia Internacional dos Museus, a instituição criada em 1963 por Arthur Cupertino de Miranda como um “templo de arte e de cultura”, ofereceu à rede de bibliotecas escolares e públicas do município, o núcleo central das edições publicadas pela Fundação no âmbito do trabalho que tem desenvolvido, essencialmente no domínio das artes plásticas.

A entrega simbólica dos 18 títulos da Fundação Cupertino de Miranda às 19 bibliotecas do município famalicense decorreu na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco e contou com as presenças do presidente da câmara municipal, Paulo Cunha, do director Artístico da Fundação, o artista plástico António Gonçalves, e dos representantes pelas instituições que receberam os livros.

Este aproximar da Fundação ao universo escolar famalicenses não é inocente. “Visa dar a conhecer o que tem sido o nosso trabalho e deixar um estímulo para que as escolas passem por lá com os seus alunos”, confessa António Gonçalves. E acrescentou: “a Fundação existe para a comunidade e todo o trabalho que se faça tem que ser nesse sentido, até porque a existência do espaço só se justifica em função dos visitantes que o usufruem”.

O presidente da câmara municipal, Paulo Cunha, aproveitou a mensagem para a estender a toda a Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão, desafiando os responsáveis pelas escolas “a aprofundarem a relação que têm com os serviços educativos da câmara municipal, no sentido de estreitarem a ligação dos alunos com os museus” e de encararem esta aproximação como um “processo fundamental de formação e valorização da nossa comunidade”.

Dos livros oferecidos às bibliotecas pela Fundação fazem parte catálogos de exposições de artistas como Mário Cesariny e Teixeira de Pascoaes e os primeiros oito números do Caderno do Centro de Estudos do Surrealismo.
Significa isto que há mais livros para oferecer. Para completar a colecção, as escolas só têm que levar os seus alunos à Fundação Cupertino de Miranda.

O Museu da Fundação Cupertino de Miranda tem por missão a divulgação da Arte Moderna e Contemporânea, especialmente do Surrealismo. Tem como principais objectivos o estudo, a documentação, conservação e divulgação do seu acervo.

Com uma importante colecção composta essencialmente por obras de artistas portugueses, reforça um património cada vez mais representativo do Surrealismo português, enriquecendo continuamente a colecção e permitindo tornar visíveis as obras do seu acervo através de uma sucessão de exposições.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.