Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Famalicão Cidade Orizuro
Família da Lage ganha ‘casa nova’

Famalicão Cidade Orizuro

Chegou a hora do Estado compensar autarquias

Famalicão Cidade Orizuro

Vale do Ave

2020-06-04 às 17h17

Redacção Redacção

Casa das Artes envolve as famílias no pós-Covid19

A Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão lança um desafio às famílias de todo o concelho, especialmente às crianças: transformar Vila Nova de Famalicão na Cidade Orizuro. Durante cerca de dois meses, todos são chamados a criar em suas casas bandos de pássaros de papel e a colocá-los à janela de casa, complementando a dinâmica criada pelo arco-íris, durante o período de confinamento gerado pela pandemia Covid-19.

Esses pássaros executados com recurso à técnica de dobragem japonesa origami migrarão depois para os espaços verdes da cidade de Vila Nova de Famalicão um momento, que posteriormente será anunciado e que será celebrativo e comunitário, cumprindo a missão da Casa das Artes de fomento à criação artística, do apoio aos artistas e do envolvimento da comunidade, concretamente, através do programa Casa das Artes Envolvente.

Para ajudar todos a saber como fazer os orizuros, está disponível um tutorial, passo a passo, em vídeo, nas redes sociais da Casa das Artes (Facebook, Instagram e Youtube).

Quando as famílias tiverem os seus pássaros feitos, são convidadas a enviar fotos das suas criações colocadas à janela para o email: casadasartes@famalicao.pt , que partilhará a todos a beleza das criações realizadas.

Desde há vários anos que a Casa das Artes de Famalicão, em coprodução com a Companhia de Música Teatral (CMT), desenvolve o projeto “Orizuro” que através de modelos inovadores de formação de profissionais e de intervenção junto da comunidade escolar, implementou um conjunto de boas práticas artísticas para a infância aprofundando a relação entre a Companhia de Música Teatral, a Casa das Artes e a intervenção educativa na envolvente do Município.

Neste momento, aproveitando os condicionalismos e, sobretudo, as dinâmicas geradas pelo confinamento da pandemia COVID-19, surge a ideia de levar o projeto “Orizuro” à casa de todas as famílias famalicenses. Todos são convidados (inclusive instituições sociais) a criarem bandos de orizuros e a coloca-los à janela de suas casas, complementando a dinâmica do arco-íris que simboliza a esperança da vitória sobre o vírus COVID-19.

Refira-se que o nome do projeto deriva do origami “Orizuru” – que na cultura tradicional do Japão é um símbolo de felicidade e paz – inspirou este projeto que visa ajudar a olhar e a escutar o mundo de forma poética desde a primeira infância.

Através de um conjunto de práticas educativas em que se estabelece diálogo entre famílias e profissionais, a intervenção estende-se a toda a comunidade procurando-se bases educativas para resultados de longo alcance.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho