Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Exposição de Arte de Rosa Vaz: 35 anos de uma vida
“Filhos do Neiva, Encontros Fotográficos das Neves”: Agnès Varda em exposição no Fórum Cultural das Neves

Exposição de Arte de Rosa Vaz: 35 anos de uma vida

Fins de tarde de verão com boa música e descontração no Devesa Sunset

Exposição de Arte de Rosa Vaz: 35 anos de uma vida

Braga

2023-05-28 às 19h16

Redacção Redacção

Para assinalar esta data, tem patente uma exposição até ao dia 2 de junho na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, que poderá ser visitada de 2ª a 6ª feira, das 9h00 às 19h30, na Sala de Exposições da Biblioteca.

Citação

A artista plástica e promotora cultural Rosa Vaz completa em 2023 trinta e cinco anos de atividade em prol da cultura e das artes plásticas.

Para assinalar esta data, tem patente uma exposição até ao dia 2 de junho na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, que poderá ser visitada de 2ª a 6ª feira, das 9h00 às 19h30, na Sala de Exposições da Biblioteca.

Esta artista plástica e promotora cultural, residente na cidade de Braga, professora de profissão, transporta para os seus trabalhos artísticos uma parte da sua vivência e apreciação do Mundo, dando um especial destaque à Mulher e à sua natureza, revisitando ainda as suas reminiscências de África, Monção, do Mundo, através da representação de vários quadros da geografia humana, numa conceção meta abstrata do espaço real, através da recriação imagética do mundo e do jogo das cores (os tons de azul e castanho sempre muito presentes), aplicando traços quase geométricos às telas, preenchimento colorido e intenso dos espaços de vazio, sempre acompanhada pelo seu olhar de poeta e discurso literário. As suas telas e peças de arte transportam-nos para uma narrativa poético-visual. A sua obra apresenta-se através de trabalhos em pintura em acrílico, aguarela, pintura em têxtil e em cerâmica (canecas, jarras, pratos de cerâmica), desenhos, murais cerâmicos, ilustração de livros e poesia. Um dos seus mais recentes projetos de desenho de joias também pode ser apreciado nesta exposição, assim como recortes de imprensa, convites, cartazes, memórias impressas que foi coletando ao longo dos anos.


Sobre Rosa Vaz

Rosa Vaz, Artista Plástica, Promotora cultural, Ilustradora, Poetisa. Nasceu em, Angola. Tem mais de 30 anos de carreira, vive em Portugal, em Braga.

De pai originário de Monção, no Norte de Portugal e mãe angolana de Huambo, Rosa nasceu em Malange, nos anos 60 e aí viveu a sua infância. Esta genética territorial, por assim dizer, reforçou os seus laços com o Norte de Portugal e as matrizes africanas que ficariam para lá do mar, depois da guerra civil de Angola, mas vivem e habitam no seu coração, no imaginário e no olhar sorridente que procura sempre o mar e o pôr do sol, como se de um equilíbrio intrínseco e de pele, se tratasse.

Durante a guerra na sua terra natal veio para Monção, onde estudou no liceu. Seguiu os seus estudos na Universidade no Porto tendo-se mudado mais tarde para Braga onde os concluiu e fixou a sua residência atá hoje.

A sua obra está representada, através de trabalhos em pintura em acrílico, aguarela, Pintura Têxtil, pintura Cerâmica, desenhos, murais cerâmicos, ilustração de livros e poesia. O seu mais recente projeto, -Designer de joias- também poderá ser apreciado nesta exposição.

Rosa Vaz participa em vários grupos de promoção e divulgação cultural, de forma especial ligados à Lusofonia, como o Projeto ARTÁFRICA da Fundação Calouste Gulbenkian, a Associação de Escultura e Arte Contemporânea de Vila Nova de Famalicão, a ONGD Engenho e Obra, em Braga, o projeto Porlith (Portugal Lituânia), o Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, entre muitos outros.

A atividade de escritora e poetisa, teve início muito cedo, participando com os seus escritos em jornais, coletâneas e atividades culturais. Nesta área tem representação na Antologia Universal Lusófona, editada pelo CEMD, e ainda no Guia de Autores e escritores de Angola, de Tomás Gavino Coelho. Tem já editado um livro de poesia intitulado “Pele de Lua”, sendo que este ano chegará o segundo livro.

Das reminiscências de África, desse mundo colorido, alegre, sorridente, saltitante, trouxe as memórias das cores da terra, o colorido dos frutos, a magia do azul do mar, e a suavidade dos pôr de sol numa simbiose perfeita com as cores mais monótonas da Europa, recortadas aqui ali por pequenos contrastes. O azul a sua cor de eleição.

A artista plástica participou em exposições individuais e coletivas tanto em Portugal como no Estrangeiro. Desde Monção a Melgaço, Vigo, Corunha, Villa Garcia de Arosa, Ferrol, Santiago de Compostela, Guimarães, Porto, Esposende, Lisboa, Caminha, Valença, Montemor-o-Novo, Póvoa de Lanhoso, Coimbra, Vieira do Minho, Fafe, Braga, Barcelos, Sousel, Viana do Castelo, Bragança, Vilnius, Newark entre outros locais.

Está representada em coleções de Arte, de teor público e privado tais como Câmaras Municipais, Bancos e Fundações.

A sua interação com outros artistas na promoção da Cultura, levam Rosa Vaz a promover vários eventos ao longo destes anos como por exemplo, ‘’Dias de África’’, em parceria com a Universidade Católica de Braga, a Biblioteca Lúcio Craveiro de Siva, o Museu dos Biscainhos, o Museu D. Diogo de Sousa, entre outros; as “Noites de Prata” no Museu dos Biscainhos, as “Conversas Desconcertantes” na BLCS , entre outros. Assim como realizou a ilustração de livros, da capa de um CD do Grupo D’ Alma, intitulado ‘’Melodias do Teu Poema”, onde um dos seus poemas foi musicado pelo Grupo. E também a ilustração da capa de um CD de Torsten Muller , músico que vive no Canadá.

Nos “Dias de África” em Maio de 2018, Rosa Vaz sua organizadora, promoveu também uma tertúlia com o tema “África no Coração”, e contou ainda com um Desfile de Moda, um espetáculo de Dança e uma Exposição de Pintura. Por ocasião da comemoração dos seus 30 anos de atividade artística, edita o livro de poesia “Pele de Lua” em conjunto com uma exposição de Pintura intitulada “Rosa Vaz – 30 anos de arte e cultura” em Novembro de 2018, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, em Braga. Em 2018,fez um ciclo de Exposições em vários locais do país para comemorar os 30 Anos de Carreira na Arte e Cultura.

Este ano comemora 35 Anos de Arte e Cultura, e estará a expor durante o ano em vários locais, Vila Verde, Esposende, Vila Praia de Âncora, Póvoa de Lanhoso….



…………………………………...



Algumas Exposições dos últimos 5 anos:

Exposição Individual, Braga, Atelier Rosa Vaz | 2018

Exposição Individual, Braga, Galeria do RossioBar| 2018

Ex Exposição Coletiva, P. Lanhoso, Theatro Club|2018

Exposição Individual, Braga, Universidade Católica| 2018

Exposição Individual, Braga, Estúdio 22 Galeria Bar|2018

Exposição Individual, Braga, Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva|2018

Exposição Individual, Oliveira de Azeméis, Galeria Tomás Costa|2019

Exposição Individual, Barcelos, Biblioteca Municipal|2019

Exposição Individual, Braga, Galeria Obliqua|2019

Exposição Coletiva, P. Lanhoso, Theatro Club|2019

Exposição Individual, Monção, Galeria do Teatro João Verde|2019

Exposição Coletiva, Barcelos —No feminino—Galeria Municipal |2020

Exposição Coletiva, Amares-Da Leira para a Bouça-Solar das Bouças, |2020

Exposição Coletiva, P. Lanhoso, Theatro Club|2020

Exposição Coletiva-Bienal Internacional de Artes de Gaia- polo Esposende| 2021

Exposição Coletiva, Braga –Atelier Rosa Vaz Arte |2021

Exposição Individual, Monção, Galeria do Teatro João Verde|2021

Exposição Coletiva, P. Lanhoso, Theatro Club|2021

Exposição Individual, Braga, Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva|2021

Exposição Coletiva, P. Lanhoso, Theatro Club|2022

Exposição Individual, Villa Garcia de Arosa, Galiza-Espanha|2022

Exposição Individual, Oliveira de Azeméis, Galeria Tomás Costa|2022

Exposição Individual, Esposende, Turismo|2022/23





Reflexões de Rosa Vaz



“ Tenho uma necessidade permanente de uma viagem emocional, onde me cruzo com as memórias, com os cheiros de África que me embebedam de saudades das cores fortes, do cheiro do mar, do anoitecer macio, dos rostos e gestos sorridentes, daquelas cores terra que por entre as janelas da cidade cinzenta eu exalto, eu construo em cada pedaço de espaço, em cada olhar que registro num tempo sem fim, num tempo infinito... porque, - “Pintar é escrever o mistério da imaginação!”

Rosa Vaz, 25 de fevereiro de 2014

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho