Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Explosão de fábrica de pirotecnia em Tui provoca um morto e cerca de 30 feridos
Plano de Acção destaca unidade e coesão

Explosão de fábrica de pirotecnia em Tui provoca um morto e cerca de 30 feridos

Ana Bacalhau ao vivo no Theatro Circo apresenta em ‘Nome Próprio’

Casos do Dia

2018-05-23 às 21h30

Redacção

Abalo em Tui foi sentido num raio de seis/sete quilómetros. Bombeiros de Valença auxiliaram equipas espanholas. Feridos foram transportados para uma unidade de saúde espanhola.

A explosão de hoje numa fábrica de pirotecnia em Tui causou "um morto e entre 20 a 30 feridos", alguns com gravidade, e vários desalojados, informou o vice-presidente da Junta da Galiza aos jornalistas no local. Alfonso Rueda adiantou que alguns dos feridos foram canalizados para o Centro de Saúde de Tui e que os técnicos de explosivos da Guardia Civil estão a avaliar a zona onde "havia muito material pirotécnico".
Segundo comunicado da Junta da Galiza, "os serviços de emergência deslocaram-se esta tarde ao lugar de Paramos, em Tui, depois de se ter registado uma explosão de material pirotécnico".

"Está confirmada a morte de pelo menos uma pessoa e mais de dez feridos, que já foram transferidos aos centros hospitalares e há várias casas afectadas", acrescenta o documento segundo o qual a Junta activou o Plano Territorial de Emergências no nível I e a assistência recíproca interregional através do ARIEM". Também de acordo com a Agência Galega de Emergências, a explosão causou um morto e 26 feridos, sendo que 19 adultos e sete menores foram transportados a diversos centros de saúde.
Para o local foram accionados bombeiros de Morrazo, Ribadumia, Baixo Miño e Valença, assim como as polícias locais de Porriño e Tui, helicópteros e várias ambulâncias.

A Guardia Civil espanhola criou um perímetro de segurança em torno do armazém de pirotecnia em Tui, onde hoje ocorreu uma explosão, por suspeitar da existência de mais material por rebentar, disse fonte dos bombeiros de Valença. Segundo o comandante Miguel Lourenço, estas informações foram dadas pela Guardia Civil e a corporação que comanda está neste momento a atacar pequenos focos de incêndio que surgiram na sequência da explosão, nas proximidades do armazém.
O comandante disse que entre 15 a 20 casas ficaram totalmente destruídas com a explosão em Tui que foi sentida num raio de seis/sete quilómetros.

De acordo com o CDOS de Viana do Castelo, às 15.26 horas foram accionados os bombeiros voluntários de Valença, no total de 13 operacionais e cinco viaturas para apoio aos meios espanhóis que se encontram no terreno.
Fernando Alonso, morador a 200 metros do armazém de material pirotécnico que explodiu disse à Lusa que se salvou por se encontrar na cave da habitação que ficou totalmente destruída. Salvei-me por estar na cave e, mesmo assim, o impacto da explosão levantou-me no ar e peso 100 quilos. Tinha acabado de chegar a casa e entrei pela cave. Foi a minha salvação, descreveu à Lusa o morador.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.